… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sábado, 24 de junho de 2017

24 de junho


William MacDonald
Um dia de cada vez
24 de junho


“Deixai vir os pequeninos a Mim e não os impeçais, porque dos tais é o Reino de Deus.” (Mc 10:14, ARC, Pt)

A morte das crianças representou sempre uma prova especialmente severa para a fé do povo de Deus, e é importante ter sólidas amarras para manter-nos em tal ocasião.

Uma crença entre alguns cristãos é que as crianças que morrem antes de alcançar “a idade de responsabilidade” são salvos por meio do sangue de Jesus. Eis aqui algumas das suas razões: a criança não tem capacidade para aceitar ou rechaçar o Salvador, de maneira que Deus conta a seu favor todo o valor da obra de Cristo na Cruz. É salvo pela morte e ressurreição do Senhor Jesus, mesmo que não possa entender plenamente o valor salvífico dessa obra.

No diz respeito a esta “idade de responsabilidade”, ninguém sabe quando é alcançada, porque Deus não fala a respeito dela. Será diferente em cada caso já que cada criança pode maturar-se mais depressa que outra.

Ainda que a Escritura não afirme especificamente que as crianças que morrem antes da idade da responsabilidade vão para o Céu, há dois argumentos bíblicos que apoiam esta ideia. O primeiro é o versículo deste dia: “Deixai vir os meninos a mim, e não os impeçais; porque dos tais é o reino de Deus.” (Mc 10:14) Prestemos atenção ao que diz das crianças: “...dos tais é o reino de Deus”. Não afirma que têm de chegar a ser adultos para que possam entrar no reino de Deus, mas sim que eles mesmos são uma ilustração dos que estão no reino de Deus. Este é um argumento forte a favor da salvação das crianças.

Outro argumento é o seguinte. Quando Jesus se refere aos adultos afirma que: “Porque o Filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido.” (Lc 19:10). Mas, quando fala das crianças, não faz menção de “buscar,” porém diz: “Porque o Filho do homem veio salvar o que se tinha perdido.” (Mt 18:11) A ideia é que as crianças não se apartam como acontece com os adultos, e que quando chega a morte, o Salvador reúne-os soberanamente no Seu rebanho. O argumento responde assim: ainda que nunca tenham chegado a conhecer a obra de Cristo, e Deus sabe-o, Ele imputa-lhes o valor salvador desta.

Em todo caso, não devemos questionar a providência de Deus quando leva as nossas crianças. Jim Elliot escreveu: “Não devo pensar que seja impróprio de Deus levar na juventude àqueles que eu teria retido na Terra até que fossem mais velhos. Deus está povoando a eternidade, e não devo limitá-Lo a utilizar para isso apenas os anciãos e as anciãs”.




Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: