… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

terça-feira, 27 de junho de 2017

27 de junho

Oswald Chambers
My Utmost for His Highest
27 de junho  O AMPARO DO LIVRAMENTO PESSOAL DE DEUS
 
“… Eu sou contigo, para te livrar, diz o Senhor.” (Jr 1:8, ARC, Pt)

Deus prometeu a Jeremias que Ele o livraria pessoalmente “… A tua alma terás por despojo…” (Jr 39:18). Isso é tudo quanto Deus promete a Seus filhos. Para onde quer que Deus nos envie, Ele guardará as nossas vidas. As nossas propriedades e os nossos bens pessoais devem ser indiferentes para nós, e o nosso domínio sobre essas coisas deve ser muito desprendido. Se este não é o caso, teremos pânico, angústia e aflição. Ter a perspectiva correta é a prova da crença profundamente enraizada no amparo do livramento pessoal de Deus.



O Sermão do Monte indica que quando nós estamos numa missão de Jesus Cristo, não há tempo para nós nos defendermos a nós mesmos. Jesus diz, com efeito: “Não te preocupes, se estás ou não, a ser tratado com justiça.” Andar em busca de justiça é realmente um sinal de que nos havemos desviado da nossa devoção a Ele. Nunca procures justiça neste mundo, porém, nunca deixes de a ministrar. Se andarmos em busca de justiça, unicamente começaremos a reclamar e a ceder ao descontentamento da auto piedade, como se quiséssemos dizer: “Por que deveria eu de ser tratado desta maneira?” Se nós estamos dedicados a Jesus Cristo, não temos nada a ver com aquilo que encontramos, se é justo ou injusto. Essencialmente, Jesus diz: “Continua perseverantemente a fazer o que Eu te disse, e Eu guardarei a tua vida. Se tentas protegê-la tu mesmo, afastas-te da Minha protecção.” Até mesmo o mais devoto entre nós pode tornar-se ateu a este respeito— não cremos nEle. Entronizamos o nosso senso comum e, em seguida, anexamos-lhe o nome de Deus. Confiamos na nossa própria compreensão, em vez de confiarmos em Deus com todo o nosso coração (vê Pv 3:5-6).


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: