… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quarta-feira, 28 de junho de 2017

28 de junho


C. H. Spurgeon
Livro de Cheques do Banco da Fé
28 de junho


“Então o SENHOR olhou para ele, e disse: Vai, nesta tua força, e livrarás a Israel da mão dos midianitas: porventura não te enviei eu?” (Jz 6:14, ARC, Pt)

Que olhar dirigiu o SENHOR a Gedeão! Este olhar mudou o seu desalento em coragem sobrenatural. Se o nosso olhar para o SENHOR nos salva, o que não nos fará a nós, o Seu olhar? SENHOR, olha-me neste dia e dá ânimo por causa dos seus deveres e conflitos.


Que palavra foi esta que o SENHOR falou a Gedeão! «Vai». Ele não devia mostrar-se indeciso. Ele poderia ter respondido: “Como, irei em toda esta debilidade?” Porém, o SENHOR determinou que essa palavra era inadmissível, dizendo-lhe: “Vai, nesta tua força.” O SENHOR com o Seu olhar tinha-lhe dado poder, e ele agora só tinha de usá-lo e salvar Israel, ferindo os midianitas. Pode ser que o SENHOR tenha mais que fazer por meio de mim do que eu jamais imaginei. Se Ele me tem olhado, tem-me feito forte. Que eu exerça pela fé o poder que Ele me confiou. Ele nunca me ordena que eu “desperdice o meu tempo nesta minha força.” Longe disso. Eu tenho de “ir”, porque Ele me fortalece. Que pergunta é essa que o SENHOR me faz, como a que Ele fez a Gedeão! “Não te enviei Eu?” Sim, SENHOR, tu me tens enviado, e irei nesta Tua força. Ao Teu mando eu vou, e, indo, estou certo de que Tu vencerás por mim.


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: