… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sexta-feira, 30 de junho de 2017

30 de junho


William MacDonald
Um dia de cada vez
30 de junho

“E acontecia que, quando Moisés levantava a sua mão, Israel prevalecia; mas quando ele abaixava a sua mão, Amalec prevalecia.” (Ex 17:11, ARC, Pt)

Israel combatia contra as forças de Amalec. No cimo de uma colina Moisés observava o campo de batalha. A posição da mão de Moisés significava a diferença entre a vitória e a derrota. Quando levantava a mão, fazia retroceder a Amalec; quando a baixava, Israel retrocedia.



A mão levantada de Moisés descreve o Senhor Jesus como nosso Intercessor, “por nós as Suas mãos levantou em compaixão e amor”. Pela Sua poderosa intercessão somos realmente salvos. Mas até aqui o tipo encontra cumprimento, porque nunca baixa a Sua mão. Não necessita de ajuda exterior porque nunca Se fatiga. Vive sempre para interceder por nós.



Há outra maneira na qual podemos aplicar este incidente, isto é, a nós, como guerreiros da oração. A mão levantada descreve a nossa intercessão fiel a favor daqueles crentes que estão entregues à guerra espiritual nos campos de missão do mundo. Quando descuidamos o ministério da oração, o inimigo prevalece.



Um missionário e o seu grupo tiveram de passar uma noite numa área infestada de bandoleiros. Encomendaram-se ao cuidado do Senhor, dormiram e na manhã seguinte partiram. Meses mais tarde, quando o chefe dos bandidos foi ferido e levado a um hospital da missão, reconheceu o missionário. “Tentamos roubar-te nessa noite no campo aberto”, disse, “mas tivemos temor dos teus vinte e sete soldados”.



Mais tarde, quando o missionário relatou tudo isto numa carta à sua igreja, um dos membros disse: “Tivemos uma reunião de oração nessa mesma noite e havia vinte e sete de nós”.



Quando Deus nos olha ali,

No lugar secreto da oração clamando,

Então amaina a maré da batalha,

A flama da conquista arde,

E o estandarte da verdade ondeia,

Os inimigos escapulem-se e Satã acovarda-se!

Então, o lamento vacilante de temor

Converte-se em ressonante aclamação!

Leva-nos, Senhor, oh, leva-nos para ali,

Onde aprendamos o poder da oração.



Podemos ver algo mais neste incidente. O Senhor jurou que teria guerra com Amalec de geração em geração. Amalec é um tipo da carne. O cristão deve travar uma batalha incessante contra a carne, e a oração é uma das suas armas principais. Uma vida constante de oração frequentemente faz a diferença entre a vitória e a derrota.



Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: