… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quarta-feira, 7 de junho de 2017

7 de junho

C. H. Spurgeon
Leituras Matutinas
7 de junho

“Filhos dos homens, até quando convertereis a minha glória em infâmia?” (Sl 4:2, ARC, Pt)

UM escritor educativo fez uma triste lista das honras que o povo cego de Israel concedeu ao Seu longamente esperado Rei.

1. Fizeram-Lhe uma procissão de honra, na qual tomaram parte os legionários romanos, os sacerdotes judeus, os homens e as mulheres, enquanto Jesus levava a Sua cruz. Esta é a marcha triunfal que o mundo dá Àquele que veio vencer aos mais espantosos inimigos do homem. Aclamações burlescas são as suas únicas aclamações, e vitupérios cruéis, os seus únicos cantos de triunfo.

2. Obsequiaram-nO com o vinho de honra. Em lugar de uma áurea taça de vinho generoso, ofereceram-lhe um estupefaciente que Ele recusou, pois quis conservar intactas as Suas faculdades para provar a morte; e mais tarde, quando gritou: “Tenho sede “, deram-lhe, numa esponja, vinho misturado com fel. Oh que mesquinha e detestável inospitalidade deram ao Filho do Rei!

3. Puseram-Lhe uma guarda de honra que demonstrou a estima que Lhe tinha, jogando sortes sobre os Seus vestidos, que eles tomaram como sua pilhagem. Tal foi a guarda do Adorado do Céu: um quaterno de jogadores brutais.

4. Na cruz deram-Lhe um trono de honra. Nenhum lugar de descanso mais cómodo queria o homem rebelde dar ao Seu Senhor. De facto, a cruz era a perfeita expressão dos sentimentos do mundo para com Jesus. Eles pareciam dizer: “Atenção! Tu, Filho de Deus; esta é a maneira como o próprio Deus seria tratado se pudéssemos chegar a Ele.”

5. O título de honra nominalmente era “Rei dos Judeus”, mas a nação cega repudiou-O claramente, e realmente chamou-Lhe “Rei dos ladrões”, pois preferiu a Barrabás e pôs a Jesus no lugar de maior vergonha, entre dois ladrões. A Sua honra foi assim, em todas as coisas, transformada em infâmia pelos filhos dos homens; porém, apesar de tudo, Ele alegrará os olhos dos santos e dos anjos por todos os séculos dos séculos.


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: