… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quarta-feira, 7 de junho de 2017

7 de junho

C. H. Spurgeon
Livro de Cheques do Banco da Fé
7 de junho

“E dou-lhes a Vida Eterna, e nunca hão de perecer, e ninguém as arrebatará da Minha mão.” (Jo 10:28, ARC, Pt)

Nós cremos na eterna segurança dos santos. Primeiro, porque eles pertencem a Cristo, e Ele nunca perderá as ovelhas que comprou com o Seu sangue, e que as recebeu de Seu Pai.

Depois, porque Ele lhes dá a vida eterna, e se ela é eterna, bem, então é eterna, e não pode ter fim, a menos que possa haver um fim para o Inferno, para o Céu e para Deus. Se a vida espiritual pode terminar, é porque não é manifestamente vida eterna, mas vida temporal. Porém, o SENHOR fala de vida eterna, e isso exclui eficazmente a possibilidade de um fim.

Observai, além disso, que o SENHOR diz expressamente: “E nunca hão-de perecer.” Enquanto as palavras tenham um significado, isto garante aos crentes, que não perecerão. A incredulidade mais obstinada não pode tirar esse significado desta frase.

Portanto, para completar o assunto, Ele declara que o Seu povo está na Sua mão, e desafia todos os Seus inimigos a que o arrebatem dela. Com toda a certeza é algo impossível, até mesmo para o demónio do Inferno. Estamos seguros, porquanto estamos nas mãos de um Salvador Omnipotente. A nós cabe-nos desprezar o medo carnal, assim como a confiança carnal, e descansar tranquilamente na palma da mão do Redentor.

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: