… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quinta-feira, 8 de junho de 2017

8 de junho


C. H. Spurgeon
Leituras Matutinas

8 de junho

“Porque muitos caíram feridos, porque de Deus era a peleja.” (1Cr 5:22, ARC, Pt)

SOLDADO que lutas sob a bandeira do Senhor Jesus, observa este versículo com gozo santo, pois como foi nos dias da antiguidade assim é nos nossos dias: se a guerra for de Deus a vitória é certa. Os filhos de Rúben e os Gaditas, e a meia tribo de Manassés, não puderam alistar nem sequer quarenta e cinco mil soldados, e contudo, na batalha com os Agarenos tomaram “cem mil prisioneiros”, “porque, na peleja, eles clamaram a Deus que lhes deu ouvidos, porquanto confiaram nEle.” O Senhor não livra nem por intermédio de muitos nem por intermédio de poucos homens. Se nós formos somente um punhado de soldados, devemos ir no nome do SENHOR, pois o Senhor dos Exércitos é o nosso Capitão. Estes traziam escudo, espada e arco, mas não puseram a sua confiança nessas armas. Nós devemos usar todos os meios apropriados, mas a nossa confiança deve descansar unicamente no Senhor, porquanto Ele é a espada e o escudo do Seu povo. A verdadeira razão do seu extraordinário êxito residia no facto de que “a guerra era de Deus.” Amado, quando combateres com o pecado interno ou externo, ou com o erro de doutrina ou de conduta, com a impiedade espiritual nos lugares altos ou nos lugares baixos, com os demónios e os seus aliados, estás travando a guerra do SENHOR, e, a menos que Ele seja vencido, não necessitas de temer a derrota. Não te desanimes perante um número superior de inimigos, não retrocedas perante as dificuldades e impossibilidades, não titubeies perante as feridas ou a morte, fere com a espada de dois gumes do Espírito de Deus, e os mortos jazerão aos montões. A batalha é do Senhor e Ele entregará os Seus inimigos nas nossas mãos. Com passo firme, mão forte, coração intrépido e zelo ardente, lancemo-nos ao combate e as hostes do mal voarão como moinho em frente da ventania.

Levantai-vos! Levantai-vos para Jesus!
A luta não será extensa;
Neste dia, o alarido da batalha,
No seguinte, o cântico da vitória:

Ao que vencer,
A coroa da vida deve ter;
Ele com o Rei da glória
Reinará eternamente.



Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: