… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sábado, 20 de maio de 2017

SALMO 27

C. H. Spurgeon
O Tesouro de David
SALMO 27
Este Salmo pode ser lido proveitosamente num triplo plano: como linguagem de David, como referindo-se à igreja e como referente ao Senhor Jesus. A plenitude da Escritura aparecerá desta maneira mais maravilhosa. C. H. S



Vers. 1. O Senhor é a minha luz e a minha salvação. Ali onde não há bastante luz para ver a nossa própria escuridão e sentir desejo pelo Senhor Jesus, não há evidência de salvação. A salvação acha-nos na escuridão, mas não nos deixa ali. Não se diz meramente que o, Senhor dá luz, mas que Ele “é” luz; não que dá salvação, mas mas que Ele “é” salvação. C. H. S.



Alice Driver, mártir, ao ser examinada fez calar aos doutores que a interrogavam, de modo que não podendo dizer uma só palavra, olharam-se um ao outro; então ela disse: “Não têm nada mais que dizer? Que Deus receba toda honra, porque não podeis resistir ao Espírito de Deus em mim, uma pobre mulher. Sou a filha de um homem pobre mas honrado, nunca fui à universidade como vós; guiei o arado ajudando a meu pai muitas vezes, por isso estou agradecida a Deus; entretanto, em defesa da verdade de Deus e da causa de meu Senhor, Cristo, por Sua graça vos desafio totalmente na manutenção e na defesa dela; e se mil vidas tivesse, mil vidas ofereceria por amor da mesma.” Por isso o chanceler a condenou, e ele foi devolvida gozosa ao cárcere. Charles Bradbury.



Vers. 1. O Senhor é a minha luz e a minha salvação; a quem temerei? O Senhor é a força da minha vida; de quem me recearei? São João diz-nos, que " Nele [em Cristo] estava a vida, e a vida era a luz dos homens", mas acrescenta que "a luz resplandece nas trevas, e as trevas não a compreenderam " (Jo 1:4-5, ARC, Pt). Há uma grande diferencia entre a luz e o olho que a vê. Um cego pode saber muito sobre o brilho do sol, mas este não brilha para ele, não lhe dá luz. De igual modo, o saber que “Deus é luz” (1Jo 1:5, ARC, Pt) é uma coisa, e o poder dizer: “O Senhor é minha luz” é algo distinto. Quando Ele é nesta forma “a nossa luz”, então é também “a nossa salvação”. Ele prometeu-nos que nos guiaria rectamente; não só para nos mostrar o pecado, mas também para nos libertar dele; não só para nos fazer ver o aborrecimento que Deus tem ao pecado e à Sua maldição do mesmo, mas também para nos atrair ao amor de Deus e para nos tirar a maldição. From Sacramental Meditations on the Twenty-seventh Psalm, 1843.



Vers. 1. O Senhor é a minha luz. “Sol agradável” -gritava São Bernardo [de Claraval] -, “Não posso andar sem Ti; ilumina os meus passos e provê a esta mente estéril e ignorante pensamentos dignos de Ti. Adorável plenitude de luz e calor, sê o meio-dia da minha alma; extermina as suas trevas, dispersa as suas nuvens, queima, seca e consome toda a sua sujidade e impurezas. Sol divino, levanta-Te em minha alma e não Te ponhas nunca!” Jean Baptiste Elias Avrillon, 1652-1729.



A quem temerei? Uma pergunta que leva consigo a resposta. Aos poderes das trevas não há que temê-los, porque o Senhor, nossa Luz, destrói-os; e à condenação do inferno não temos por que temê-la, posto que o Senhor é nossa salvação. C. H. S.



De quem me recearei? Não compreendo uma profissão de Cristo tímida e vacilante. Estes pregadores e professos são como um rato jogando o jogo das escondifas atrás de um friso de madeira na parede: põe a cabeça por um buraco para ver se há perigo à vista, e atreve-se a sair se não há ninguém perto, mas volta a esconder-se imediatamente se aparecer algum perigo. Não podemos ser sinceros para Cristo a menos que sejamos atrevidos. Ele vale mais que tudo o que podemos perder por Ele, ou Ele não vale nada. H. G. Salter, A.M., in "The Book of Illustrations, "1840.



Vers. 2. Quando os malvados, meus adversários e meus inimigos, investiram contra mim, para comerem as minhas carnes, tropeçaram e caíram. É um sinal de esperança quando os malvados nos aborrecem; se nossos inimigos fossem pessoas piedosas, seria algo lamentável, mas tratando-se dos malvados, o seu aborrecimento é melhor do que o seu amor. C. H. S.



Vers. 2. Não há bocado mais delicado para um estômago malicioso que a carne de um inimigo; ele traga-o sem o mastigar, como fazem os glutões. Sir Richard Baker.



Vers. 2. Todos os grandes peixes comem os pequenos, e os homens prepotentes não têm mais peso na consciência por comer os outros homens que por comer uma fatia de pão. Richard Sibbes.



Vers. 2. Os abutres sentem antipatia pelos aromas prazenteiros; assim também, nos malvados há uma antipatia contra o povo de Deus; odeiam o suave perfume da sua graça. Thomas Watson.



Vers. 2. Há muita sabedoria na prece de John Wesley: “Senhor, se eu tiver de ter conflitos, que não seja com o Teu povo.” Quando temos por inimigos os que aborrecem os bons, achamos pelo menos esta consolação: que Deus não está ao seu lado, e portanto são essencialmente débeis. William S. Plumer.



Vers. 3. Ainda que um exército me cercasse, o meu coração não temeria: ainda que a guerra se levantasse contra mim, nele confiaria. O exército acampado inspira maior terror que o mesmo inimigo em plena batalha. Young diz-nos que “alguns sentem mil mortes ao temer uma.” C. H. S.



Vers. 3. Felizmente para mim, não me podem anular diante de Deus, e a Sua estimativa só me compensa, e me recompensa, pelo desprezo deles. Jean Baptiste Elias Avrillon.



Vers. 3. Ali onde não há confiança em Deus, não haverá permanência de contato com Deus. Quando o vento da fé deixa de inchar as velas, o navio da obediência deixa de sulcar os mares. William Secker.



Vers. 4. Uma coisa pedi ao Senhor. O homem de um livro é eminente; o homem que tem só uma ideal trunfa. Que todos nossos afetos se reúnam no feixe de um afeto, e que este se centre nas coisas celestiales. C. H. S.



Vers. 4. Entendo, de modo geral, que David se refere à comunhão do homem com Deus, e que se um cristão a tiver, não deseja nada mais. John Stoughton.



Vers. 4. Pedi. O que não podemos conseguir imediatamente, está bem que o desejemos. Deus julga-nos, em grande parte, pelos desejos do nosso coração. Aquele que monta um cavalo coxo, não é culpado por seu amo pela lentidão do cavalo coxo, se ele for tão depressa como pode; Deus aceita a vontade pelos atos com respeito aos Seus filhos. C. H. S.



Vers. 4. Ao Senhor. Este é o objetivo apropriado para os nossos desejos; este é o poço em que afundamos os nossos baldes; esta é a porta a que terás de chamar, o banco aonde ir; centra o teu desejo nos homens e jaz no pó como Lázaro; põe o teu desejo no Senhor e és levado pelos anjos ao seio de Abraão. Sob as penosas circunstâncias em que David se escontrava presentemente poderíamos ter esperado que desejasse repouso, segurança e mil outras coisas boas, mas não, pôs o seu coração na pérola e deixou o resto. C. H. S.



Vers. 4. E a buscarei. Os santos desejos devem levar a uma ação resolvida. C. H. S.



Vers. 4. Para contemplar a formosura do Senhor. Não temos de entrar nas assembleias dos santos para ver e ser vistos, ou meramente para escutar o ministro. Melhor é contemplar pela fé! Que visão será quando cada crente, fiel seguidor de Jesus, contemplará “ao Rei na sua formosura”! Oh, que visão imensamente bem-aventurada! C. H. S.



Vers. 4. Digam-se houver, se pode haver, alguma petição maior. Esta “uma coisa” que David deseja é, com efeito, o unum necessarium de que fala Cristo no evangelho; o que María escolheu, aqui David escolheu o mesmo. Sir Richard Baker



Vers. 4. Outra coisa que podemos chamar um elemento da formosura em Deus é a combinação dos Seus vários atributos num tudo harmonioso. As cores do arco-íris são formosas tomadas isoladas; mas há uma formosura no arco-íris que não depende de nenhum das cores isoladas. A santidade é formosa; a misericórdia é formosa; a verdade é formosa. Condensed from Andrew Gray (1805-1861), in "Gospel Contrasts and Parallels."



Vers. 5. Porque no dia da adversidade me esconderá no seu pavilhão: no oculto do seu tabernáculo me esconderá: pôr-me-á sobre uma rocha. Ele dar-me-á o melhor refúgio no pior perigo. No oculto do seu tabernáculo me esconderá. Ninguém na antiguidade ousava entrar no lugar santísimo, sob pena de morte; e se o Senhor tiver escondido o Seu povo ali, que inimigo se atreverá a incomodá-los? C. H. S.



Vers. 7. Ouve, Senhor, a minha voz, quando clamo. A voz que no anterior versículo estava afinada na música, aqui se transformou em pranto. Aos fariseus não lhes importava que o Senhor os ouvisse contanto que os ouvissem os homens. C. H. S.



Vers. 8. Quando tu disseste: Buscai o meu rosto; o meu coração te disse a ti: O teu rosto, Senhor, buscarei. Oh que pudéssemos estar ainda melhor dispostos a esta santidade! Isto é, que Deus nos torna-se mais maleáveis à mão divina, e mais sensíveis ao toque do Espírito de Deus. C. H. S.



Vers. 8. Deus quer que O conheçamos. Ele está disposto a abrir-Se e deixar-Se ver. Não Se deleita em esconder-Se. Deus não mantém a distância como alguns imperadores, que acreditam que a presença diminui o respeito. Deus não é desta espécie de Deus, mas que pode ser buscado. No homem, quando descobrimos alguma debilidade, podemos logo, pôr o dedo e achar os limites da sua excelência; mas com Deus é totalmente de outro modo. Quanto mais O conhecemos, mais achamos para O admirar. Buscai o meu rosto. Ele deseja revelar-Se a nós. Richard Sibbes.



Vers. 8. Quando tu disseste. Aqui temos uma oração; isto é, Ele derrama sobre um homem um espírito de graça e de suplicação, uma disposição para orar. Põe motivos, sugere argumentos e rogos para com Deus. Thomas Goodwin



Vers. 8. Podemos dizer isto: Deus não nos estimula e corrobora para que O busquemos a não ser quando Ele tenta que O achemos. “Senhor, tu ouviste os desejos dos mansos; confortarás os seus corações; os teus ouvidos estarão abertos para eles” (Sl 10:17, ARC, Pt). “E buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes de todo o vosso coração” (Jr 29:13, ARC, Pt). Thomas Cobbett.



Vers. 8. O meu coração te disse a ti. O coração está entre Deus e a nossa obediência, como se fosse um embaixador. Compreende o que Deus quer que se faça, e logo põe uma ordem sobre o homem todo. O coração e a consciência do homem são em parte divinos e em parte humanos. Richard Sibbes.



Vers. 9. Não rejeites ao teu servo com ira. Deus aparta a muitos com ira por causa da sua suposta bondade. Mas não a nenhum por sua maldade confessada. John Trapp.



Vers. 9. Teu servo. É algo bendito e feliz ser um verdadeiro servo de Deus. Considera o que disse a rainha de Sebá dos servos de Salomão: “Bem-aventurados estes teus servos” (1Rs 10:8, ARC, Pt). Thomas Pierson.



Vers. 10. Quando meu pai e minha mãe me desampararem. Estas são relações queridas e são as últimas que abandonamos, mas se o leite da bondade humana se seca inclusivamente nos peitos, há um Pai que não esquece nunca. C. H. S.



Vers. 10. O Senhor me recolherá. Trata-se do Seu amor, da Sua sabedoria, do Seu poder, da Sua eternidade, e de tudo na Sua natureza. E a estes acrescenta a Sua promessa, com o que temos a plenitude de toda a segurança que alguém pode desejar. Robert Sanderson.



Vers. 11. Ensina-me, Senhor, o teu caminho, e guia-me pela vereda direita, por causa dos que me andam espiando. Se um homem viaja pela estrada real e o roubam em pleno dia, pode receber satisfação do condado no qual teve lugar o roubo; mas se empreender a viagem de noite, não há amparo durante este tempo, faz o caminho sob seu risco e tem que aceitar o resultado. Do mesmo modo, se um homem guardar os caminhos de Deus, pode estar seguro do amparo de Deus; mas se ele se desencaminhou, ele mesmo se expõe ao perigo. Robert Skinner (Bishop), 1636



Vers. 11. Por causa dos que me andam espiando (ARC, Pt) ou Porque tenho muitos inimigos (BPT, Pt). É maravilhoso observar de que forma a simples sinceridade desconcerta e supera a astúcia da maldade. A verdade é sabedoria. O melhor modo de proceder é a sinceridade. C. H. S.



Vers. 11. Os crentes condenam com as suas vidas aqueles que se condenam com os seus lábios. Cristão, se tu vives na tenda aberta da libertinagem, o iníquo não retrocederá uns passos, como por vergonha fizeram Sem e Jafeth, para te cobrir, mas seguirá adiante para o publicar, como fez Cam. Assim, fazem uso da sua debilidade como desculpa para a sua maldade. Os homens são implacáveis nas suas censuras aos cristãos; não têm simpatia e compreensão a respeito da sua debilidade. Ao passo que um santo é uma pomba aos olhos de Deus, é só um corvo na estimativa dos pecadores. William Secker.



Vers. 12. Pois se levantaram falsas testemunhas contra mim, e os que respiram crueldade. A calúnia é uma arma antiga do armamento do inferno, e dela ainda se faz abundante uso; e não importa ao santo quem possa ser o homem, sempre haverá quem esteja disposto a difamá-lo. O seu próprio alento é odiar o que é bom. C. H. S.



Vers. 13. Pereceria sem dúvida, se não cresse que veria os bens do Senhor na terra dos viventes. Podes, se quiseres, duvidar de que todas as águas do oceano encham uma colher, em vez de duvidares de que a plenitude divina não te basta para ti se não te resta nada neste mundo. Uma gota da doçura divina é bastante para fazer que na mesma agonia da morte mais cruel grites com gozo: “A amargura da morte passou.” A bondade de Deus te dispõe a que o faças-lo. A Sua bondade põe em marcha um grande poder para que obres em favor dos santos que sofrem. Condensed from David Clarkson.



Vers. 14. Espera no Senhor. Espera à Sua porta em oração; espera aos Seus pés com humildade; espera à Ssua mesa com serviço; espera à Sua janela com expectação. C. H. S.



Resiste, os teus inimigos fugirão.

Treme o inferno quando o olha o céu;

Procura defender antes que atacar.

A confiança própria falha no conflito.

Quando te desafiam, tens de encarar os perigos;

O valor verdadeiro não é fogo de aparas.

Mas um forno aceso permanente;

É sempre humilde, não confia em si mesmo.

E não se lança por si mesmo ao perigo.

Sê fiel a Deus, encomenda-Te a Ele e descobrirás

Que Deus luta por ti se a ele te resignas.

Ama a Jesus! O temor não resiste ao amor.

Ama a Jesus! E serás vencedor.

—Thomas Ken (Bishop), 1637-1710-11.


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: