… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sábado, 1 de julho de 2017

1 de julho

Oswald Chambers
My Utmost for His Highest

1 de julho  O INEVITÁVEL CASTIGO

“Em verdade te digo que, de maneira nenhuma sairás dali, enquanto não pagares o último ceitil.” (Mateus 5:26, ARC, Pt)

Não há no céu um cantinho do inferno. Deus está determinado a fazê-lo puro, santo, e  recto, e Ele te não permitirá que escapes do escrutínio do Espírito Santo, nem por um momento. Foi Ele quem te forçou para que viesses a juízo imediatamente quando Ele te convenceu de que és culpado, mas tu não obedeceste. Então, o inevitável processo entrou em ação, trazendo consigo o seu inevitável castigo. E agora tu foste “encerrado na prisão, [e] … de maneira nenhuma sairás dali, enquanto não pagares o último ceitil “ (Mateus 5:25-26, ARC).

“É isto obra de um Deus de misericórdia e amor?” Ainda, perguntas tu. Quando isto é visto da perspectiva de Deus, é um glorioso ministério de amor. Deus vai trazer-te para fora da prisão puro, limpo, e imaculado, mas Ele quer que tu reconheças a natureza que estavas manifestando a natureza de exigires o teu direito sobre ti mesmo. No momento em que estás disposto a que Deus mude a tua natureza, as suas forças regeneradoras começarão a trabalhar. E, no momento em que tu compreendas que o propósito de Deus é que tu entres no relacionamento correto com Ele e com outras pessoas, Ele irá aos confins do universo para te ajudar a entrares no caminho correto. Decide-te a fazê-lo agora mesmo, dizendo: “Sim, Senhor, eu vou escrever aquela carta,” ou, “Vou reconciliar-me com aquela pessoa, agora.”

Estes sermões de Jesus Cristo são dirigidos à tua vontade e à tua consciência, e não à tua cabeça. Se te puseres a questionar na tua cabeça com estes versículos do Sermão do Monte, diminuirás em intensidade o apelo feito ao teu coração.

Se tu te estás perguntando: “Fico admirado, por que não estou crescendo espiritualmente na minha vida com Deus?”— Então pergunta a ti mesmo se tu está pagando as tuas dívidas do ponto de vista de Deus. Faz agora o que terás de fazer algum dia. Cada apelo ou chamada moral vem com um “deve” atrás dele— o conhecimento de sabermos o que devemos fazer.



Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: