… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

segunda-feira, 10 de julho de 2017

10 de julho

C. H. Spurgeon
Leituras Matutinas
10 de julho

“Concidadãos dos santos.” (Ef 2:19, ARC, Pt)

O QUE quer dizer, ser cidadãos do céu? Quer dizer que estamos sob o governo do Céu. Cristo, o rei dos céus, reina em nossos corações. A nossa oração quotidiana é esta: “Seja feita a Tua vontade, tanto na Terra como no Céu.” As proclamações expedidas desde o trono de glória são espontaneamente recebidas por nós. Os decretos do nosso Grande Rei são obedecidos por nós com alegria. Então, como cidadãos da Nova Jerusalém, participamos das honras do Céu. A glória que pertence aos santos beatificados, pertence-nos também a nós, porque nós já somos filhos de Deus, príncipes de sangue real, já vestimos a imaculada túnica da justiça de Jesus. Já temos os anjos como nossos servidores, os santos como nossos companheiros, Cristo como nosso Irmão, Deus como nosso Pai e a coroa de imortalidade como nosso galardão. Nós participamos das honras da cidadania, porque nós temos chegado à companhia e à congregação dos primogénitos que estão inscritos nos Céus. Como cidadãos, temos direito sobre todos os bens que há no Céu. As suas portas de pérola e as suas muralhas de crisólito são nossas; a luz azul-celeste daquela cidade que não tem necessidade da luz da vela, nem de luz do Sol é nossa; o rio da água da vida e as doze espécies de frutos que crescem nas árvores que estão plantados da uma e da outra margem do rio são nossas. Não há nada no Céu que não nos pertença. “As coisas presentes e as coisas por vir” são nossas. Além disso, como cidadãos do Céu gozamos das suas delícias. Não se alegram os seus habitantes quando os pecadores se arrependem e os pródigos regressam? O mesmo fazemos nós. Não cantam eles as glórias da graça triunfante? Nós fazemos o mesmo. Não deitamos nós aqui as nossas honras, como eles no Céu deitam as suas coroas, aos pés de Jesus? Eles estão encantados com o Seu sorriso? Este não é menos doce para nós, que habitamos na Terra. Eles olham em direcção ao futuro à espera do Seu segunda advento? Nós também olhamos e por muito tempo esperando a Sua vinda. Se, portanto, nós somos cidadãos do céu, deixemos, assim, que a nossa conduta e ações sejam coerentes com a nossa alta dignidade.


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: