… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

terça-feira, 11 de julho de 2017

11 de julho


C. H. Spurgeon
Leituras Matutinas
11 de julho

“Depois de haverdes padecido um pouco, ele mesmo vos aperfeiçoará, confirmará, fortificará e fortalecerá.” (1Pe 5:10, ARC, Pt)

VÓS haveis visto alguma vez o arco íris: magníficas são as suas cores e estranhos os seus matizes. É belo, mas, ai!, ele passa, e eis aqui, já não é. As formosas cores dão lugar a nuvens em flocos e o firmamento não brilha mais com as tintas do céu. Ele não está consolidado. Como pode isso ser? Um glorioso espetáculo formado por raios transitórios e por uma chuva passageira, como pode ele permanecer? Os dons do caráter Cristão não devem parecer-se com o arco íris na sua beleza transitória; mas, pelo contrário, devem ser estáveis, firmes e permanentes. Crente, procura que cada uma das boas coisas que possuis seja permanente. Que o teu caráter não seja como um escrito sobre a areia, mas como uma inscrição sobre a rocha! Que a tua fé não seja como “a visão de um edifício sem fundamento”, mas como o edifício levantado com materiais capazes de suportar o fogo que consumirá a madeira, o feno e a palha do hipócrita. Procura estar enraizado e fundado em amor. Que as tuas convicções sejam profundas; o teu amor, real; e os teus desejos, zelosos. Que toda a tua vida esteja tão corroborada e estabelecida que todas as explosões do Inferno e todas as tormentas da Terra nunca possam mover-te. Mas observa como se obtém esta bênção de ser “estabelecido na fé.” As palavras do apóstolo indicam-nos o sofrimento como o meio empregado para esse fim. “Depois de haverdes padecido um pouco.” É inútil que esperemos estar bem arraigados se não soprarem sobre nós ventos tempestuosos. Aqueles velhos nós na raiz do carvalho e aquelas estranhas torceduras dos seus ramos, todos nos contam das muitas tempestades que passaram sobre ele, e eles são também indicadores da profundidade a que as raízes forçaram o seu caminho. Deste modo, o cristão é fortalecido e firmemente enraizado por todas as provações e pelas tempestades da vida. Não fujas, então, dos ventos tempestuosos das provações, mas toma conforto, crendo que, pela Sua áspera disciplina Deus está cumprindo esta bênção para ti.


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: