… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

terça-feira, 11 de julho de 2017

11 de julho


Oswald Chambers
My Utmost for His Highest

11 de julho  O SANTO ESPIRITUALMENTE SADIO

“... Para conhecê-lo ...” (Fl 3:10, ARC, Pt)

Um santo não deve assumir a iniciativa da auto-realização, mas a iniciativa de conhecer Jesus Cristo. Um santo espiritualmente sadio nunca crê que as suas circunstâncias simplesmente acontecem ao acaso, nem ele jamais pensa que a sua vida está dividida entre o secular e o sagrado. Ele vê cada situação em que se encontra como o meio de obter um maior conhecimento de Jesus Cristo, e ele tem uma atitude de renúncia ilimitada e de entrega total relativamente a Ele. O Espírito Santo está decidido a que teremos de exaltar a Jesus Cristo em todas as áreas das nossas vidas, e Ele far-nos-á regressar para o mesmo ponto repetidamente, que o façamos. A auto-realização só leva à glorificação das boas obras, ao passo que um santo de Deus glorifica a Jesus Cristo através das suas boas obras. Seja o que for que nós possamos estar fazendo— até mesmo comer, beber ou lavar os pés dos discípulos— temos de tomar a iniciativa de perceber e de reconhecer Jesus Cristo nisso. Cada fase da nossa vida tem a sua contrapartida na vida de Jesus. O nosso Senhor desenvolveu plenamente a Sua relação com o Pai, até mesmo na tarefa mais humilde. “Jesus, sabendo … que havia saído de Deus e ia para Deus, … tomando uma toalha … começou a lavar os pés aos discípulos” (Jo 13:3-5, ARC, Pt).

O alvo de um santo espiritualmente sadio é “conhecê-Lo ...” Conheço-O eu, onde hoje estou? Se não, eu careço dEle. Eu não estou aqui para a minha auto-realização, mas para conhecer Jesus Cristo. No trabalho Cristão a nossa iniciativa e motivação são muitas vezes simplesmente o resultado de percebermos que há trabalho que deve ser feito e que devemos fazê-lo. Todavia, essa nunca é a atitude de um santo espiritualmente saudável. O seu alvo é alcançar a exaltação e a plenitude de Jesus Cristo em todas as circunstâncias da vida.


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: