… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quarta-feira, 12 de julho de 2017

12 de julho


C. H. Spurgeon
Leituras Matutinas
12 de julho

“Santificados em Deus Pai.” (Jd 1:1, ARC, Pt)
“Santificados em Cristo Jesus.” (1Co 1:2, ARC, Pt)
“Em santificação do Espírito.” (1Pe 1:2, ARC, Pt)

OBSERVA a união das Três Divinas Pessoas em todos os Seus atos de graça. Quão imprudentemente se expressam os crentes que mostram preferência por alguma das Pessoas da Trindade! Consideram Jesus como a personificação de tudo o que é amável e benigno, enquanto que ao Pai eles O julgam rigorosamente justo, porém sem bondade. Estão igualmente errados aqueles que magnificam os decretos do Pai e a expiação do Filho, e desprezam a obra do Espírito. Nas obras da graça, nenhuma das Pessoas da Trindade atua independentemente das outras. Estão tão unidas nas Suas obras como na Sua essência. No amor para com os escolhidos as três Pessoas são Uma, e nos atos que procedem daquela grande fonte central são indivisas. Noto isto especialmente no assunto da santificação. Embora, sem cair em equívoco, podemos falar da santificação como obra do Espírito Santo, temos de ter cuidado de não excluir da mesma ao Pai e ao Filho. O correto é falar da santificação como obra do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Além disso Jeová diz: “Façamos o homem à Nossa imagem, conforme a Nossa semelhança,” e, desta maneira “somos feitura Sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas.” Vê que valor Deus deu à verdadeira santidade, visto que as três Pessoas da Trindade cooperam para apresentar uma Igreja sem “mancha, nem ruga nem coisa semelhante”! E tu, crente, deves dar, como seguidor de Cristo, um alto valor à santidade, à pureza de vida e à piedade na conversação. Considera o sangue de Cristo como o fundamento da tua esperança, porém nunca fales depreciativamente da obra do Espírito, que te prepara para a herança dos santos na luz. Que nós vivamos este dia de tal forma que manifestemos a obra que o Deus Trino faz em nós.

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: