… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quarta-feira, 12 de julho de 2017

12 de julho

C. H. Spurgeon
Leituras Vespertinas
12 de julho

“O seu Reino celestial.” (2Tm 4:18, ARC, Pt)

A cidade do grande Rei situada além é um lugar de serviço ativo. Os espíritos redimidos servem-No dia e noite no Seu templo. Eles jamais cessam de cumprir a boa vontade do Seu Rei. Eles sempre “descansam” até onde a tranquilidade e a eliminação da ansiedade têm que ver; e nunca “descansam” no sentido da indolência e da inatividade. A Jerusalém áurea é o lugar de comunhão com todo o povo de Deus. Sentar-nos-emos com Abraão, Isaac e Jacob em permanente companheirismo. Nós sustentaremos elevadas conversações com a hoste nobre dos escolhidos, todos os quais reinam com Aquele que por Seu amor e pelo Seu braço poderoso, os levou seguramente para o lar. Nós não cantaremos “sozinhos”, mas louvaremos o nosso Rei em coros. O Céu é um lugar de vitória obtida. Cristão, sempre que consigas alguma vitória sobre as tuas concupiscências, sempre que depois de duro batalhar deixes morta a teus pés uma tentação, tu tens nesse momento um antegosto daquele gozo que te aguarda para quando o Senhor, em breve, pise a Satã debaixo de teus pés, e sejas mais do que vencedor por meio dAquele que te amou. O Paraíso é um lugar de segurança. Quando tu gozas da plena certeza da fé, tu tens uma garantia daquela gloriosa segurança que será tua quando fores um perfeito cidadão da Jerusalém celestial. Oh Jerusalém, meu doce lar, porto feliz da minh’alma! Obrigado, desde já, Àquele cujo amor me ensinou a suspirar por Ti, mas os mais efusivos obrigados (te darei) na eternidade quando Te possuir!

"Minh’alma provou o sabor das uvas,
E agora ela sonha ir
Para onde o meu querido Senhor mantém a Sua vinha
E todos os cachos crescer.

"Às custas da Videira verdadeira e viva,
A minh’alma banquetar-se-á,
E banqueteia-se no fruto divino,
Como um convidado eterno."


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: