… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quinta-feira, 13 de julho de 2017

13 de julho


C. H. Spurgeon
Livro de Cheques do Banco da Fé
13 de julho


“Porque certamente te livrarei, e não cairás à espada; mas a tua alma terás por despojo, porquanto confiaste em Mim, diz o SENHOR.” (Jr 39:18, ARC, Pt)
Olhai o poder protetor da confiança em Deus. Os grandes homens de Jerusalém caíram pela espada, mas o pobre Ebed-melech estava seguro, porque ele tinha a sua confiança no SENHOR. Em quem mais podia um homem confiar, senão no seu Criador? Nós somos néscios quando preferimos a criatura ao Criador. Oh (!), que em todas as coisas possamos viver pela fé; então seremos livres, em todo o tempo, de perigo! Ninguém jamais confiou ou confiará em vão no SENHOR.

O Senhor disse: «Certamente te salvarei». Prestai atenção ao divino “certamente”. Por incerto que seja todo o resto (na vida), o cuidado de Deus (o cuidado que Deus tem) pelos crentes é certo. O próprio Deus é o tutor dos agraciados. Debaixo da Sua asa sagrada há segurança, ainda que por toda a parte (lá fora) haja toda a classe de perigos. Podemos nós aceitar esta promessa como certa? Então, na nossa emergência presente descobriremos que ela permanece firme. Esperamos ser livres porque temos amigos, porque somos prudentes, ou porque podemos ver sinais que dão grandes esperanças; mas nenhuma destas coisas é, nem a metade, da tão boa como simples expressão de Deus “porquanto confiaste em Mim”. Querido leitor, põe à prova (experimenta) este caminho, e, provando-o, manter-te-ás nele toda a tua vida. (Ele) é tão suave como (quanto) seguro.

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: