… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sexta-feira, 14 de julho de 2017

14 de julho


C. H. Spurgeon
Leituras Matutinas
14 de julho



“Se sobre ele levantares o teu buril, profaná-lo-ás.” (Êx 20:25, ARC, Pt)
O altar de Deus estava edificado com pedras por lavrar, para que nenhum sinal de arte ou trabalho humanos se visse nele. A sabedoria humana deleita-se em compor e arrumar as doutrinas da cruz num sistema mais artificial e mais de acordo com os gostos depravados da natureza caída. Porém, em vez de aperfeiçoar o Evangelho, a sabedoria carnal polui-o, até que ele começa a ser outro evangelho, e não, absolutamente, a verdade de Deus. Todas as alterações e emendas da Palavra de Deus são profanações e contaminações. O coração orgulhoso do homem está muito ansioso para pôr uma mão na justificação da alma diante de Deus. Sonha com uma preparação prévia para ir a Cristo, confia em humilhações e arrependimentos, apregoa as suas boas obras, gaba-se dos seus dotes naturais e tenta por todos os meios elevar buris humanos sobre o altar divino. Seria bom que os pecadores recordassem que longe de aperfeiçoar a obra do Salvador com as suas presunções carnais apenas a poluem e desonram. Só o Senhor deve ser exaltado na obra da expiação, e nem uma única marca do cinzel ou martelo do homem perdurará. Há uma inerente blasfémia na intenção de acrescentar ao que Cristo Jesus, na Sua agonia, declarou estar consumado; ou, na intenção de aperfeiçoar o que SENHOR Jeová achou perfeita expiação. Pecador tremente, retira os teus martelos e cai de joelhos em súplica humilde e aceita o Senhor Jesus como o altar da tua expiação e confia só nEle.

Muitos dos que professam ser cristãos podem receber a admoestação de que o breve passo bíblico desta manhã lhes dá quanto às doutrinas que crêem. Há entre os Cristãos excessiva inclinação a ajustar e a reconciliar as verdades da revelação. Esta é uma forma de irreverência e de incredulidade; que nós lutemos contra ela, e que recebamos a verdade como a achamos. Regozijemos porque as doutrinas da Palavra são como pedras por lavrar e assim estão todas elas mais ajustadas para construir um altar para o Senhor.


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: