… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sexta-feira, 14 de julho de 2017

14 de julho

C. H. Spurgeon
Leituras Vespertinas
14 de julho


“Quando já despontava o primeiro dia da semana, Maria Madalena foi ver o sepulcro.” (Mt 28:1, ARC, Pt)

Que nós aprendamos de Maria Madalena como obter comunhão com o Senhor Jesus. Observa como ela a buscou. Ela buscou o Salvador de amanhã muito cedo. Se tu aguardas por Cristo, na esperança de teres comunhão com Ele em algum tempo longínquo, tu, de qualquer modo, jamais terás alguma comunhão, porque o coração que está ajustado para a comunhão é um coração faminto e sedento. Ela buscou-O também com grande intrepidez. Outros discípulos fugiram do sepulcro porque tremeram e estavam assombrados, mas de Maria, é dito que “estava” junto do sepulcro. Se tu queres ter a Cristo contigo, busca-O corajosamente. Que nada te retenha. Desafia o mundo. Avança onde outros fogem. Ela buscou a Cristo fielmente; estava junto do sepulcro. Alguns acham difícil estar junto dum Salvador vivente, mas ela estava junto de um Salvador morto. Que nós busquemos a Jesus deste modo, seguindo-O de perto em todas as coisas que têm que ver com Ele, permanecendo fiéis ainda que outros O esqueçam. Notemos, além disso, que ela buscou a Jesus ardentemente, pois ela estava “chorando.” Essas lágrimas foram como encantos que cativaram o Salvador e O moveram a sair e mostrar-Se a ela. Se desejas a presença de Jesus chora como ela! Se tu não podes ser feliz a menos que Ele venha e te diga: “Tu és a minha amada”, logo Ele te fará ouvir a Sua voz. Por fim, ela buscou só ao Salvador. O que lhe importavam os anjos! Ela afastou-se deles, pois ela procurava só a Jesus. Se Cristo é somente o teu único amor, se o teu coração expulsou a todos os rivais, tu não carecerás do conforto da Sua presença. Maria Madalena buscou assim porque ela amava muito. Que nós nos elevemos ao mesmo nível de intensidade de afeição. Que o nosso coração seja como o da Maria, cheio de Cristo; e, o nosso amor, como o dela, só ficará satisfeito nEle. Oh Senhor, revela-Te a nós hoje à noite!



Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: