… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

domingo, 16 de julho de 2017

16 de julho

C. H. Spurgeon
Leituras Matutinas
16 de julho

“Eles, pois, o colhiam cada manhã.” (Êx 16:21, ARC, Pt)

PARA QUE os teus mais ricos deleites espirituais perdurem, esforça-te para manteres a consciência da tua inteira dependência da boa vontade do Senhor. Nunca tentes viver do maná velho, nem procures achar ajuda no Egito. Tudo deve vir de Jesus; ou tu estás perdido para sempre. As unções antigas não serão suficientes para dar unção ao teu espírito. A tua cabeça tem de ser ungida com o óleo novo do corno de ouro do santuário, ou ela deixará de ter honra. Presentemente talvez estejas no cume do monte de Deus; mas Aquele que te colocou lá tem de te conservar lá, se não, tu afundar-te-ás mais rapidamente do que pensas. A tua montanha está firme unicamente quando Deus a põe no seu lugar; se Ele esconder o Seu rosto, logo tu estarás a ser perturbado. Se o Salvador julgar conveniente, não há uma janela através da qual possas olhar para a luz do céu, a qual Ele não possa fechar num instante. Josué mandou ao Sol que se detivesse, porém Jesus pode ocultá-lo em completa escuridão. Jesus pode tirar o gozo do teu coração, a luz dos teus olhos e a fortaleza da tua vida; na Sua mão está o teu bem-estar, e quando Ele quiser, pode to tirar. O Senhor resolveu que nós sintamos e reconheçamos esta contínua dependência, visto que Ele permite-nos orar só pelo “pão quotidiano”, e, unicamente, nos promete que “como os nossos dias assim será a nossa fortaleza.” Não é preferível para nós que isto seja assim: que nós recorramos frequentemente ao Seu trono e que constantemente sejamos recordados do Seu amor? Oh! Quão rica é a graça que nos provê tão frequentemente, e que não se abstém de obrar assim por causa da nossa ingratidão! A chuva áurea nunca cessa, e a nuvem de bênção permanece sempre sobre a nossa habitação. Oh Senhor Jesus, nós nos inclinemos a Teus pés conscientes da nossa inteira incapacidade de fazer algo sem Ti. Nós queremos adorar o Teu bendito nome e reconhecer o Teu inesgotável amor por todos os favores que temos o privilégio de receber de Ti.



Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: