… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

domingo, 16 de julho de 2017

16 de julho

C. H. Spurgeon
Livro de Cheques do Banco da Fé

16 de julho


“E salvarei a que coxeia.” (Sf 3:19, ARC, Pt)

Há muitos destes coxos, tanto homens como mulheres. Podes encontrar-te com “a que coxeia” vinte vezes durante uma hora. Estão no caminho certo, e estão muito ansiosas de correr nele com diligência, porém são coxas, e o seu andar causa dó (e andam com dificuldade; e é uma lástima vê-las andar). No caminho celestial há (também) muitos coxos. Pode ser que digam nos seus corações (Talvez digam no seu íntimo): O que será de nós? O pecado nos alcançará (dominará), Satanás nos derrubará (destruirá). «Prestes(Propenso)-a-coxear») é o nosso nome e a nossa natureza; o SENHOR nunca pode fazer de nós bons soldados, nem sequer velozes mensageiros que atendam às Suas mensagens. Bem! Bem! Ele salvar-nos-á e isso não é algo insignificante (pouca coisa; coisa pequena). Ele diz: “Salvarei a que coxeia.” Ao salvar-nos, Ele glorificar-Se-á a Si mesmo grandemente. Todos perguntarão: Como é que esta mulher coxa correu a carreira e ganhou a coroa? E então todo o louvor será dado à graça omnipotente.

Senhor, ainda que eu coxeie na fé, na oração, no louvor, no serviço e na paciência, salva-me, isto Te suplico! Só Tu podes salvar a um coxo como eu. SENHOR, não permitas que eu pereça por estar entre os derradeiros, mas, recolhe, por Tua graça, o mais atrasado (lento) dos Teus peregrinos —que sou precisamente eu. Olhai! Ele tem dito que será assim, e, portanto, como Jacob, prevalecendo em oração, eu vou adiante ainda que o meu tendão esteja contraído.


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: