… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

domingo, 2 de julho de 2017

2 de julho

C. H. Spurgeon
Livro de Cheques do Banco da Fé
2 de julho

“O Senhor concede o sono àqueles a quem ama.” (Sl 127:2, NVI)

A nossa (existência) não é uma vida de ansioso cuidado, mas antes de fé feliz. O nosso Pai Celestial proverá as necessidades dos Seus próprios filhos, e Ele sabe do que temos necessidade antes de que nós Lho peçamos. Portanto, podemos ir para as nossas camas à hora oportuna, sem necessidade de nos consumirmos ficando acordados até (muito) tarde traçando planos e projectos para o futuro. Se temos aprendido a confiar no nosso Deus, não ficaremos acordados com os nossos corações roídos pelo medo; mas antes deixaremos o nosso cuidado com o SENHOR, e a nossa meditação a Seu respeito será ótima, e Ele nos dará sonho reparador.

Ser o amado do SENHOR é a mais elevada honra possível, e aquele que a tem pode sentir que a própria ambição não poderia desejar nada mais, e, portanto, todo o desejo egoísta pode dormir. Que mais há, ainda no Céu, senão o amor de Deus? Repousa, então, oh (minha) alma, pois possuis todas as coisas. Sem embargo, damos voltas de um lado para o outro a menos que o próprio SENHOR nos dê, não só as razões para o descanso, mas também o próprio descanso. Sim, Ele faz isto. Jesus, Ele mesmo, é a nossa paz, o nosso repouso, o nosso tudo. No Seu seio dormimos em perfeita segurança, tanto na vida como na morte.

“Aspergido de novo com sangue indulgente,
Deito-me a descansar,
Tanto nos braços do meu Deus,
Como no seio de meu Salvador.”


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: