… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quinta-feira, 20 de julho de 2017

20 de julho

Oswald Chambers
My Utmost for His Highest

20 de julho   DEPENDENTES NA PRESENÇA DE DEUS

“Os que esperam no Senhor … caminharão, e não se fatigarão.” (Is 40:31, ARC, Pt)

De maneira nenhuma o caminhar representa uma grande emoção, mas é o que prova todas as nossas qualidades de firmeza e de perseverança. Mas, o “Caminhar e não se fatigar” é a prova suprema do meu grau de resistência. A palavra “andar” é usada na Bíblia para expressar o caráter de uma pessoa. “… João … vendo passar a Jesus, disse: Eis aqui o Cordeiro de Deus[!]” (João 1:35-36, ARC, Pt). Na Bíblia, não há nada de abstrato ou de obscuro; tudo é vivo e real. Deus não diz: “Sê espiritual”, mas Ele diz: “Anda em minha presença …” (Gn 17:1, ARC).

Quando estamos numa condição prejudicial à moral, quer fisicamente ou emocionalmente, estamos sempre à procura de emoções na vida. Na nossa vida física isto leva a que os nossos esforços falsifiquem a obra do Espírito Santo; na nossa vida emocional isso leva a obsessões e à destruição da nossa moralidade; e na nossa vida espiritual, se insistirmos em irmos atrás apenas de emoções, subindo “com asas como águias” (Is 40:31, ARC, Pt), isso redundará na destruição da nossa espiritualidade.

Desfrutar da realidade da presença de Deus não depende do nosso ser estar numa circunstância ou num lugar específico, mas depende só da nossa determinação de manter o Senhor diante de nós continuamente. Os nossos problemas surgem quando nos recusamos a colocar a nossa confiança na realidade da Sua presença. A experiência de que o salmista fala— “Não temeremos, ainda que ...” (Sl 46:2, ARC )— será nossa, logo que que nos apoiemos na verdade da realidade da presença de Deus, não apenas numa elementar consciência dela, mas numa inteligente compreensão da realidade dela. Então, exclamaremos: “Ele esteve aqui o tempo todo!” Nos momentos críticos das nossas vidas é necessário pedir orientação a Deus, mas deveria ser desnecessário estar-Lhe constantemente a dizer: “Oh, Senhor, dirige-me nisto, e naquilo.” Evidentemente que Ele o fará, e de fato, Ele já o está fazendo! Se as nossas decisões diárias não estão de acordo com a Sua vontade, Ele atuará através delas e refreará o nosso espírito. Nessa altura, devemos estar quietos e esperar pela direção da Sua presença.




Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: