… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sexta-feira, 21 de julho de 2017

21 de julho


C. H. Spurgeon
Livro de Cheques do Banco da Fé

21 de julho

“Os que forem sábios, pois, resplandecerão como o fulgor do firmamento; e os que a muitos ensinam a justiça, como as estrelas sempre e eternamente.” (Dn 12:3, ARC, Pt)

Aqui há algo de valor que deve despertar-me. Vale a pena viver para isto. O ser entendido é algo nobre em si mesmo: nesta passagem bíblica é referida uma sabedoria divina que só o próprio SENHOR pode conceder. Oh, que eu me conheça a mim mesmo, ao meu Deus e ao meu Salvador! Que eu seja tão divinamente ensinado, que possa pôr em prática a verdade celestial e viver à sua luz! Vivo uma vida avisada? Estou buscando o que devo buscar? Estou vivendo como desejaria viver se estivesse para morrer? Só esta sabedoria me pode garantir um resplendor eterno, como aqueles céus iluminados pelo Sol.

Ser um ganhador de almas é um talento glorioso. Tenho necessidade de ser sábio se tenho de levar alguém à justiça; muito mais ainda, se tiver de levar multidões. Oh, que eu tenha o conhecimento de Deus, dos homens, e da Palavra e de Cristo, que me habilite a converter os meus semelhantes, e a converter um copioso número deles! A isto quero entregar-me, e nunca descansar até o haver executado. Isto será melhor do que ganhar insígnias na corte. Isto far-me-á uma estrela, uma estrela resplandecente, uma estrela que resplandece para todo o sempre; sim, além do mais, far-me-á resplandecer como muitas estrelas. Minha alma, desperta. SENHOR, vivifica-me!


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: