… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sexta-feira, 21 de julho de 2017

21 de julho

C. H. Spurgeon
Leituras Matutinas
21 de julho

“A filha de Jerusalém meneia a cabeça por detrás de ti.” (Is 37:22, ARC, Pt)

TRANQUILIZADOS pela Palavra do Senhor, os pobres cidadãos trementes de Sião animavam-se e meneavam as suas cabeças perante as jactanciosas ameaças do Senaquerib. A fé firme capacita os servos de Deus a olharem com desprezo indiferente para os seus inimigos mais altivos. Nós sabemos que os nossos inimigos estão tentando impossibilidades. Eles procuram destruir a vida eterna, que, na verdade, não pode morrer enquanto Jesus viva; eles querem derrubar a cidadela, contra a qual não prevalecerão as portas do Inferno. Eles dão coices contra os aguilhões para o seu próprio mal e acometem contra o escudo de Jeová para o seu próprio dano.

Nós conhecemos a debilidade dos nossos inimigos. O que são eles, senão homens? E, o que é o homem, senão um verme? Eles bramam e incham como as ondas do mar que espumam as suas próprias abominações. Quando o Senhor Se levantar, eles voarão como a moinha diante do vento, e serão consumidos como espinhos crepitantes. A sua total impotência para prejudicar a causa de Deus e a Sua verdade, faz que os soldados mais fracos das filas de Sião se riam deles com desdém. Sobretudo, nós sabemos que o Altíssimo está connosco; e, quando Ele Se aprestar com as Suas armas, onde estarão os Seus inimigos? Se Ele sai do Seu lugar, os cacos da Terra não quererão contender com seu Criador. A Sua vara de ferro fá-los-á em pedaços como um vaso de oleiro, e a memória deles desaparecerá da Terra. Para longe, então, todos os temores; nas mãos do Rei o reino está seguro. Que nós demos brados de júbilo, pois o Senhor reina e os Seus inimigos serão como palha para o monturo.

“Tão certo como a própria palavra de Deus é verdadeira;
Nem Terra, nem o Inferno, com todas as suas multidões,
prevalecerão contra nós.
A galhofa e o motivo de riso são grandes (contra nós);
Deus está connosco, nós somos dEle,
A nossa vitória não pode falhar.”

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: