… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sexta-feira, 21 de julho de 2017

21 de julho


C. H. Spurgeon
Leituras Vespertinas

21 de julho


“Por que ando angustiado?” (Sl 42:9, ARC, Pt)

CRENTE, não podes responder a esta pergunta? Qual é a razão porque tu em vez de estares contente estás frequentemente angustiado? Por que te rendes a lúgubres pressentimentos? Quem te disse que a noite jamais terminará em dia? Quem te disse que o mar dos recursos minguaria até não ficar nada a não ser largas léguas de lama de horrível pobreza? Quem te disse que o Inverno do teu descontente avançaria de geada em geada, de neve, gelo e granizo para uma tempestade mais terrível de desespero? Não sabes que o dia segue a noite, que a preia-mar vem depois da vazante da maré e que a primavera e o verão sucedem ao inverno? Tem esperança, então! Espera sempre! Porque Deus não te deixará. Não sabes que o teu Deus te ama no meio de tudo isto? As montanhas, quando estão ocultas pela escuridão, são tão reais como quando é dia, e o amor que Deus te professa é tão real agora como foi nos teus melhores tempos. Nenhum pai castiga sempre. O teu Deus abomina o castigo tanto como tu. Ele só quer aplicá-lo por aquela razão pela qual tu deverias desejar recebê-lo, isto é: que esse castigo obre em ti um bem perpétuo. Tu ainda subirás com os anjos a escala de Jacob e contemplarás Aquele que Se senta no cume dela, o Deus do pacto. Tu esquecerás ainda, no meio dos esplendores da eternidade, as provações do tempo, ou recordá-las-ás só para bendizeres a Deus que te guiou através delas e obrou por meio delas o teu perpétuo bem. Vem, canta no meio da tribulação. Regozija-te até enquanto passas pela fornalha. Faz que o deserto floresça como a rosa! Faz que o deserto ressoe com os teus alegres júbilos, porque estas leves aflições logo passarão, e, então, “para sempre com o Senhor”, a tua beatitude jamais decairá.

“Nunca desanimes nem temas, os Seus braços estão perto,
Ele nunca mudará e tu és-Lhe muito querido,
Apenas crê e tu logo verás,
Que Cristo é tudo para ti.


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: