… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

domingo, 23 de julho de 2017

23 de julho


C. H. Spurgeon
Leituras Matutinas
23 de julho

“Tu mesmo eras um deles.” (Ob 1:11, ARC, Pt)

Edom devia demonstrar a Israel, em tempos de necessidade, amor fraternal; porém, em lugar de obrar assim, os homens de Esaú aliaram-se numa causa comum com os inimigos de Israel. Faz-se ênfase especial neste versículo ao pronome tu; como quando César bradou a Brutus, “até tu Brutus”; uma má acção pode ser pior do que é conforme seja a pessoa que a cometa. Quando nós pecamos, que somos os escolhidos predilectos do Céu, o nosso pecado é mais grave, a nossa falta é uma falta enorme, porque somos peculiarmente favorecidos Por Deus. Se um anjo tivesse que pôr a sua mão sobre nós quando estamos fazendo o mal, ele não teria necessidade de recorrer a outra repreensão que à contida nesta pergunta: “O quê, tu? O que fazes tu aqui?” Estenderemos as nossas mãos para o mal, depois de termos sido perdoados, libertados, instruídos, enriquecidos e abençoados tão generosamente? Deus não o permita!

Uns minutos de confissão far-te-ão muito bem, caro leitor, esta manhã. Alguma vez obraste como o ímpio? Numa festa nocturna, certos homens riam da impureza, e esse chiste nem foi ofensivo para os teus ouvidos; tu eras precisamente como um deles. Quando se diziam coisas ofensivas em relação aos caminhos de Deus, tu estava vergonhosamente calado, e assim, para os espectadores, tu eras como um deles. Quando os mundanos estavam traficando no mercado, consertando negócios afanosamente, não eras tu como um deles? Quando eles foram atrás da vaidade com pés de caçador, não cobiçavas, como eles os lucros? Pode-se ver entre ti e eles alguma diferença? Há realmente alguma diferença? Aqui chegamos a um ponto mais sério. Sê sincero com a tua própria alma e certifica-te de que és uma nova criatura em Cristo Jesus; e quando estiveres seguro disto, anda com cuidado para que ninguém possa dizer outra vez: “Tu também eras como um deles.” Tu não quererias participar da sua eterna perdição, por que, então, tens de ser aqui como eles? Não entres nos seus segredos para que não caias na sua ruína. Une-te com o aflito povo de Deus e não com o mundo.


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: