… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

domingo, 30 de julho de 2017

30 de julho


C. H. Spurgeon
Leituras Vespertinas
30 de julho

“O que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora.” (Jo 6:37, ARC, Pt)


NENHUM limite tem a duração desta promessa. Ela não diz meramente: “Não lançarei fora a um pecador na sua primeira vinda”, mas “de maneira nenhuma o lançarei fora.” O original diz: “Não, não o lançarei” ou “jamais o lançarei.” O texto quer dizer que Cristo não rejeitará o crente ao princípio, e, que, como não o fará ao princípio, tampouco o fará no fim.



Mas, suponhamos que o crente peca depois de ter vindo? Então João diz: “Se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o Justo.” Suponhamos, também, que o crente volta atrás? Nesse caso “Eu sararei a sua perversão, Eu voluntariamente os amarei; porque a Minha ira se apartou deles.” Mas os crentes podem cair em tentação! Se isso acontece, “fiel é Deus, que vos não deixará tentar acima do que podeis; antes, com a tentação dará também o escape, para que a possais suportar.” Contudo, o crente pode, como David, cair em pecado! Sim, mas Deus “Purifica-me com hissopo, e ficarei puro; lava-me, e ficarei mais alvo do que a neve.” “Os purificarei de toda a sua maldade”, diz o Senhor.



Uma vez em Cristo, em Cristo para sempre;

Nada nos separará do Seu amor.



“Eu dou às Minhas ovelhas”, diz o Senhor, “a vida eterna, e nunca hão de perecer, e ninguém as arrebatará das Minhas mãos.” O que dizes tu a isto, oh alma vacilante e tremente? Não é uma preciosa graça, que ao ires a Cristo, tu não vás a Um que te tratará bem por um curto espaço de tempo e depois te deixará, mas Ele receber-te-á para sempre e fará de ti a Sua esposa e tu serás Seu para sempre? Não recebas mais o espírito de servidão para estares outra vez em temor, mas o espírito de adoção pelo qual clamamos “Abba Pai.” Oh, a graça que têm estas palavras: “De maneira nenhuma o lançarei fora”!


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: