… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

segunda-feira, 31 de julho de 2017

31 de julho


William MacDonald
Um dia de cada vez
31 de julho

“E Jesus, respondendo, disse: Em verdade vos digo que ninguém há, que tenha deixado casa, ou irmãos, ou irmãs, ou pai, ou mãe, ou mulher, ou filhos, ou campos, por amor de Mim e do Evangelho, que não receba cem vezes tanto, já neste tempo, em casas, e irmãos, e irmãs, e mães, e filhos, e campos, com perseguições; e no século futuro a vida eterna.” (Mc 10:29-30, ARC, Pt)


O maior de todos os investimentos é a da própria vida pela causa de Jesus Cristo. As considerações mais importantes em qualquer investimento são a segurança do capital e a percentagem do lucro. Visto desde este ângulo, nenhum investimento se pode comparar com a vida que se vive para Deus. O capital está absolutamente seguro «porque Ele é poderoso para guardar o nosso depósito para aquele dia» (2Tm 1:12). No que toca aos lucros, estes sobressaltam na mente pela sua imensidão. Na passagem deste dia, o Senhor Jesus promete reembolsar cem vezes mais. Isto equivale a uma taxa de juro de 10000 %, algo inaudito no mundo. E isso não é tudo!


Aos que abandonaram as comodidades de um lar para servir ao Senhor Jesus Cristo, Ele promete-lhes o calor e as comodidades de muitos lares, onde lhes será mostrada a bondade de Deus por causa de Jesus.



Àqueles que renunciam aos deleites do matrimónio e a uma família ou que resignam a outros ternos laços terrestres por causa do Evangelho, é-lhes prometido uma família mundial, muitas das quais, na verdade, veem a ser mais próximas do que os parentes de sangue.


A quem abandona terras são-lhes prometidas terras. Deixam para atrás o privilégio de possuir uns quantos hectares de propriedade, obterão o privilégio imensamente maior de reclamar países e até continentes no precioso Nome de Jesus.

São-lhes prometidas também perseguições. De entrada, esta parece ser uma nota azeda no meio de uma harmoniosa sinfonia. Mas Jesus inclui as perseguições como um ganho positivo sobre o nosso investimento. Compartilhar «o vitupério de Cristo é um tesouro maior do que todas as riquezas do Egito» (Hb 11:26).


Estes são os dividendos nesta vida. Logo o Senhor acrescenta: “...e no século vindouro, a vida eterna”. Isto faz-nos esperar a vida eterna na sua plenitude. Ainda que a vida eterna em si mesma é um dom recebido pela fé, haverá diferentes capacidades para desfrutá-la. Aqueles que tudo deixaram para seguir Jesus terão um grau maior de recompensa na Cidade Quadrangular.


Quando consideramos os ganhos transcendentes de uma vida investida para Deus, é estranho que a maioria das pessoas não participe. Os investidores podem ser muito astutos quando se trata de ações e bónus, mas estranhamente torpes quando se trata do melhor de todos os investimentos.



Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: