… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

segunda-feira, 31 de julho de 2017

31 de julho

C. H. Spurgeon
Leituras Matutinas

31 de julho

“Eu neles.” (Jo 17:23, ARC, Pt)

SE tal é a união que existe entre as nossas almas e a Pessoa de nosso Senhor, quão profundo e amplo é o canal da nossa comunhão! Este não é um cano estreito pelo qual só uma reduzida corrente de água possa seguir o seu curso; é, pelo contrário, um canal de extraordinária largura e profundidade, ao longo de cuja gloriosa extensão, um importante volume de águas vivas fazem rodar as suas correntes. Olhai! Ele pôs diante de nós uma porta aberta; que nós não demoremos a entrar. Esta cidade de comunhão tem muitas portas de pérolas. Cada uma das respetivas portas é de uma pérola, e cada porta está completamente aberta para que nós possamos entrar, certos de sermos bem-vindos. Se houvesse somente uma pequena abertura pela qual pudéssemos falar com Jesus, seria um alto privilégio fazer passar uma palavra de comunhão através da porta estreita. Quão abençoados somos, por termos tão ampla entrada! Se o Senhor estivesse longe de nós, separado por muitos e tempestuosos mares, nós ansiaríamos por enviar-Lhe um mensageiro que Lhe levasse o nosso amor e nos trouxesse novas da casa de Seu Pai. Mas, vede a Sua bondade: Ele edificou a Sua casa perto da porta da nossa; mais ainda: Ele hospedou-Se connosco e reside em pobres e humildes corações, para ter connosco relações perpétuas. Oh!, quão néscios somos se não vivermos em constante comunhão com Ele. Quando o caminho é largo, perigoso e árduo, não temos de nos admirar se os amigos raras vezes se encontram, porém, quando eles vivem no mesmo lugar, como esquecerá Jónatas o seu David? Uma esposa, quando o seu marido está de viagem, fica muitos dias sem manter conversa com ele, mas se ele estiver num dos aposentos da sua casa, ela nunca poderia resignar-se a estar separada dele. Crente, por que não te sentas no Seu banquete de amor? Busca o Teu Senhor, pois Ele está perto. Abraça-O, porque Ele é teu Irmão. Segura-O apertado, porque Ele é o teu Marido, e aperta-O no teu coração, porque Ele é da tua própria carne.

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: