… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

terça-feira, 4 de julho de 2017

4 de julho


Oswald Chambers
My Utmost for His Highest

4 de julho  UM DOS GRANDES “NÃOS” DE DEUS

“Deixa a ira e abandona o furor; não te indignes para fazer o mal.” (Sl 37:8, ARC, Pt)

Indignar-se significa ficarmos “em desordem” mental ou espiritualmente. Uma coisa é dizer: “Não te indignes”, mas outra coisa muito diferente é ter uma natureza tal que te torne capaz de o evitar. É fácil dizer: “Descansa no Senhor e espera nEle” (Sl 37:7), até que o nosso pequeno mundo não está virado de cabeça para baixo e nós somos obrigados a viver em confusão e agonia, como tantas outras pessoas. Então, é possível “descansar no Senhor”? Se este “não” for ineficaz naquela ocasião, então não funcionará em parte alguma. Este “não” deve funcionar tanto durante os nossos dias de dificuldade e de incerteza, como também durante os nossos dias de paz, ou ele nunca funcionará. E se ele não funcionar no teu caso particular, também ele não funcionará caso de outra pessoa. Descansar no Senhor não depende, absolutamente, das tuas circunstâncias externas, mas da tua relação com o próprio Deus.

O preocupar-se resulta sempre em pecado. Temos tendência para pensar que um pouco de ansiedade e de preocupação são simplesmente o indício de quão sábios somos de facto, mas é muito mais, na realidade, um indício de quão maus somos. A indignação tem origem na nossa determinação de termos o nosso próprio caminho. Nosso Senhor nunca Se preocupou e nunca Se mostrou ansioso, porque o Seu desígnio nunca foi cumprir os Seus próprios planos, mas cumprir o plano de Deus. O indignar-se é perversidade para um filho de Deus.

Tens tu fortalecido a tua alma insensata com a ideia de que as circunstâncias são demais para que Deus as controle? Põe de lado todas as tuas opiniões e especulações e “habita no esconderijo do Altíssimo, à sombra do Omnipotente descansado” (Sl 91:1, ARC, Pt). Deliberadamente diz a Deus que tu não queres indignar-te seja com o que for que te diga respeito. Um planeamento sem Deus é a causa de toda a nossa inquietação e preocupação.


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: