… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

terça-feira, 4 de julho de 2017

4 de julho

C. H. Spurgeon
Leituras Vespertinas
4 de julho

“Aquele que é limpo de mãos e puro de coração, que não entrega a sua alma à vaidade, nem jura enganosamente.” (Sl 24:4, ARC, Pt)

A santidade prática exterior é um sinal muito precioso de graça. Tememos que muitos crentes tenham pervertido a doutrina da justificação pela fé, de tal maneira, que tratem as boas obras com desprezo. Se isto é assim, os tais receberão um eterno desprezo, no grande dia final. Se as nossas mãos não estão limpas, então lavemo-las no precioso sangue de Jesus, e, depois, levantemos mãos puras a Deus. Mas “limpo de mãos” não será suficiente, a menos que isso esteja conectado com “puro de coração.” A verdadeira religião é obra do coração. Nós podemos lavar a parte exterior do copo ou do prato, como nós queiramos, que, se a parte interior está suja, estamos completamente sujos na presença de Deus, pois os nossos corações são mais nossos realmente do que as nossas mãos. A verdadeira vida do nosso ser reside no nosso interior; daí a necessidade urgente da pureza interior. O puro de coração verá a Deus; todos os outros são apenas morcegos cegos.

O homem que nasceu para o Céu “que não entrega a sua alma à vaidade.” Todos os homens têm os seus gozos, pelos quais as suas almas são entregues. O mundano entrega a sua alma em prazeres carnais, que são meras vaidades vãs; mas o santo ama mais as coisas substanciais. Como Josafat, entrega-se nos caminhos do Senhor. Aquele que se satisfaz com cascas, será contado com os porcos. Satisfaz-te o mundo? Então tu tens a tua recompensa e porção nesta vida; aproveita-a muito, porque tu não conhecerás outro gozo.

“Nem jura enganosamente.” Os santos são homens de honra constante. O único juramento do Cristão é a sua palavra, mas ela é tão boa como vinte juramentos de outros homens. As palavras falsas excluirão a qualquer homem do Céu, porque o mentiroso não entrará na casa de Deus, quaisquer que sejam as suas profissões de fé ou seus atos. Leitor, condena-te este versículo que está diante de nós? Ou, esperas tu subir a colina do Senhor?



Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: