… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sexta-feira, 7 de julho de 2017

7 de julho

C. H. Spurgeon
Leituras Matutinas
7 de julho

“Irmãos, orai por nós.” (1Ts 5:25, ARC, Pt)

RESERVÁMOS esta manhã do ano para refrescar a memória do leitor sobre o assunto das orações a favor dos pastores, e imploramos muito encarecidamente a cada família cristã que cumpra com o fervente pedido do versículo, formulado primeiro por um apóstolo, e agora repetido por nós. Irmãos, a nossa obra é de transcendental importância e implica o bem-estar ou a calamidade de milhares. Nós, em nome de Deus, tratamos com as almas sobre assuntos eternos, e a nossa palavra é cheiro de vida para vida ou cheiro de morte para morte. Uma responsabilidade muito pesada descansa sobre nós, e não será uma graça insignificante se finalmente somos achados livres do sangue de todos os homens. Como oficiais do exército de Cristo, nós somos o alvo principal da inimizade dos homens e dos demónios. Estes aguardam a nossa hesitação e afadigam-se por nos tomar pelos calcanhares. A nossa sagrada vocação coloca-nos em tentações das quais vós estais isentos; sobretudo, ela aparta-nos muito frequentemente do nosso gozo pessoal da verdade e conduz-nos a uma consideração ministerial e oficial da mesma. Temos de fazer frente a muitos assuntos difíceis, e a nossa razão não sabe o que dizer. Observamos com muita tristeza aos que voltam atrás, e os nossos corações sentem-se feridos; vemos milhões que perecem, e os nossos espíritos abatem-se. Desejamos servir-vos com a nossa pregação; queremos ser uma bênção para os vossos filhos; ansiamos ser úteis tanto aos crentes como aos pecadores; portanto, queridos amigos, intercedei por nós perante o nosso Deus. Somos homens miseráveis se não podemos contar com as vossas orações, mas felizes somos se vivemos nas vossas súplicas. Não espereis de nós as bênçãos espirituais, mas do nosso Senhor; embora muitas vezes Ele tenha dado essas bênçãos por intermédio dos seus ministros. Pedi, então, frequentemente para que nós possamos ser os vasos de barro nos quais o Senhor possa pôr o tesouro do Evangelho. Nós, toda a companhia dos missionários, pastores, missionários da cidade e os estudantes, suplicamo-vos em nome de Jesus: “IRMÃOS, ORAI POR NÓS.”

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: