… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sexta-feira, 7 de julho de 2017

7 de julho

Aos Pés Do Mestre
(At the Master’s feet),
Compilado por Audie G. Lewis
das obras de
C. H. Spurgeon

7 de julho O GOZO DE UM CORAÇÃO QUEBRANTADO

“E, estando ele em Betânia, assentado à mesa, em casa de Simão, o leproso, veio uma mulher, que trazia um vaso de alabastro com unguento de nardo puro de muito preço, e, quebrando o vaso, lho derramou sobre a cabeça.” (Mc 14:3, ARC, Pt)


Um espírito quebrantado implica que todos os segredos e as essências do espírito hão saído para reluzir. Certamente recordas o que aconteceu quando aquela santa mulher quebrou o frasco de alabastro; lemos que «encheu-se a casa do cheiro do unguento» (Jo 12:3). Um coração quebrantado não pode ter secretos. Agora tudo está a descoberto, agora a sua essência flui. Demasiadas vezes as nossas orações e a nossa adoração são como caixas fechadas, não podes dizer o que há nelas. Mas não sucede isto com os corações quebrantados. Quando os corações quebrantados cantam, fazem-no na verdade. Quando os corações quebrantados suplicam, na realidade o fazem. Os corações quebrantados nunca brincam a arrepender-se ou a crer. Na atualidade há muito da religião que é bastante superficial, tudo queda na superfície, uma pequena quantidade da pintura do evangelho, somente com um verniz de profissão, que se estende rapidamente e parece muito formoso. Mas os corações quebrantados não são assim, neles um hino é um verdadeiro hino, uma oração é uma verdadeira oração, a atenção aos sermões é uma ocupação séria e a pregação destes é a ocupação mais séria de todas. Oh, que bom seria que alguns de vós fosseis quebrados em pedaços! Oh, adorar a Deus em espírito e em verdade! Bem há dito alguém: «Ninguém jamais adorou a Deus com todo o seu coração a menos que o tenha adorado com um coração quebrantado, e nunca houve um coração quebrantado na verdade que não se transformasse então num coração inteiro».

Através da Bíblia num ano: 2Cr 17-20


 Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: