… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

domingo, 9 de julho de 2017

9 de julho

Aos Pés Do Mestre
(At the Master’s feet),
Compilado por Audie G. Lewis
das obras de
C. H. Spurgeon

9 de julho UM CAMINHO PERIGOSO

“Os que querem ser ricos caem em tentação e em laço, e em muitas concupiscências loucas e nocivas, que submergem os homens na perdição e ruína. Porque o amor do dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé e se trespassaram a si mesmos com muitas dores.” (1Tm 6:9-10, ARC, Pt)

Oh, Cristão, se te manténs no caminho do Rei estarás seguro, mas há becos e curvas que não deves tomar, se o fazes, serás o responsável. Há centenas e temo que até milhares de membros de igrejas que dizem que são o povo de Deus e, sem embargo, parecem viver por completo dentro do mundo. O seu objetivo principal é fazer dinheiro e obter a sua realização pessoal, tal como acontece com todos os homens ímpios. O reino de Cristo, as necessidades da Sua igreja, os sofrimentos das almas que perecem, ocupam um lugar muito pequeno nos seus corações; vivem por completo para si mesmos, só que tentam escondê-lo sob o pretexto de que têm de prover para as suas famílias. “Buscai primeiro o reino de Deus e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas” é um versículo sobre o qual precisamos pregar aos que professam ser Cristãos em Londres e em todo mundo.

Muitos tomam o caminho do orgulho. Ser grandes, famosos, estimados, ter uma elevada reputação, para isso é que vivem. Creio que neste mundo não existe nenhum estado de vida superior ao que Deus deu a todo aquele que crê no Senhor Jesus Cristo.



Através da Bíblia num ano: 2Cr 25-28



 Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: