… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

domingo, 9 de julho de 2017

9 de julho

Oswald Chambers
My Utmost for His Highest
9 de julho  VAIS EXAMINAR-TE A TI MESMO?

“Então Josué disse ao povo: Não podereis servir ao Senhor …” (Js 24:19, ARC, Pt)

Tens a confiança mais insignificante em qualquer coisa, do que Deus? Existe dentro de ti algum indício de confiança depositado em qualquer virtude natural, ou em qualquer conjunto de circunstâncias? Não estás tu confiando em ti mesmo, de algum modo, em relação a esta nova proposta ou plano que Deus tem colocado diante de ti? Vais-te tu examinar a ti mesmo através deste exame cuidadoso e minucioso? É deveras correto que digas: “Eu não posso viver uma vida santa”, todavia podes chegar à conclusão de permitir que Jesus Cristo te torne santo. “Não podereis servir ao Senhor ...”— Não obstante, podes dispor-te de tal maneira que o poder omnipotente de Deus fluirá através de ti. É a tua relação com Deus adequada para que tu presumas que Ele apresente a Sua vida maravilhosa em ti?

“Então disse o povo a Josué: Não, antes ao Senhor serviremos.” (Js 24:21. ARC, Pt). Esta não é uma ação irreflectida, mas um compromisso deliberado. Nós temos tendência para dizer: “Mas Deus nunca poderia ter-me chamado para isso. Eu sou muito indigno. Isso não se destina a mim.” Isso destina-se a ti, e quanto mais fraco e incapaz tu fores, melhor. A pessoa que ainda está contando com qualquer coisa e confiando em qualquer coisa dentro de si mesma é a última pessoa a aproximar-se sequer um pouco, para dizer: “Eu servirei ao Senhor”

Nós dizemos: “Ah, se eu realmente pudesse crer!” A questão é: “Quero eu acreditar?” Não admira que Jesus Cristo colocasse tanta ênfase no pecado da incredulidade. “[Ele] não fez ali muitas maravilhas, por causa da incredulidade deles.” (Mt 13:58, ARC, Pt)). Se realmente acreditássemos que Deus queria dizer o que disse, dificilmente imaginaríamos como nós seríamos! Realmente atrevo-me eu a permitir que Deus seja para mim tudo o que Ele afirma que será?


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: