… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sábado, 1 de julho de 2017

1 de julho

C. H. Spurgeon
Leituras Vespertinas
1  de julho

“E ouviram a voz do SENHOR Deus, que passeava no jardim pela viração do dia.” (Gn 3:8, ARC, Pt)

Minh’alma, agora que o fresco do dia tem chegado, retira-te por um instante e escuta a voz do teu Deus. Ele está sempre preparado para falar contigo quando tu estejas preparado para ouvir. Se há alguma tardança na comunicação, não se deve a Ele, mas exclusivamente a ti, pois Ele está à porta e chama, e se os Seus abrem, Ele alegra-Se por entrar. Mas, em que estado está o meu coração, que é o jardim do meu Senhor? Posso aventurar-me a esperar que ele está bem podado e regado e que está produzindo frutos dignos dEle? Se não é assim, Ele terá muito que reprovar; mas contudo, eu rogo-Lhe que venha para mim, porque nada pode levar tão certamente o meu coração a um estado aceitável como a presença do Sol de Justiça, que traz saúde nas Suas asas. Portanto, vem, oh Senhor, meu Deus, a minh’alma convida-Te encarecidamente e aguarda-Te com ansiedade. Vem para mim, oh Jesus, meu bem-amado e planta flores novas no meu jardim, como as que florescem com perfeição no Teu imaculado carácter! Vem, oh meu Pai, que és o Lavrador, e trata comigo com a Tua ternura e prudência! Vem, oh Espírito Santo e rega todo o meu ser, como as ervas se humedecem com o orvalho da noite. Oh se Deus me falasse! Fala, Senhor, que o Teu servo escuta! Oh se Ele andasse comigo! Estou pronto para Lhe entregar todo o meu coração e toda a minha mente, de modo que cada pensamento distinto a este fique eliminado. Eu estou apenas pedindo o que Ele sente prazer em dar. Eu estou seguro de que Ele condescenderá em ter comunhão comigo, porque Ele tem-me dado o Seu Santo Espírito para que permanecesse comigo para sempre. O fresco da noite é agradável, quando cada estrela parece o olho do Céu, e o ar fresco é como o hálito do amor celestial. Meu Pai, meu Irmão mais velho, meu querido Consolador, fala-me agora com carinho, pois Tu tens aberto o meu ouvido e eu não sou rebelde.


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: