… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

domingo, 9 de julho de 2017

9 de julho


William MacDonald
Um dia de cada vez
9 de julho

“Porque todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo.” (Rm 10:13, ARC, Pt)

Ninguém pode realmente invocar o Nome do Senhor e não ser salvo. Esta invocação sincera e desesperada nunca fica sem resposta. Quando chegamos ao fim dos nossos próprios recursos e abandonamos toda a esperança de nos salvarmos, quando não temos aonde recorrer senão para cima e nesse momento dirigimos ao Senhor um desesperado chamamento, Ele escutará e responderá.

Um jovem sikh chamado Sadhu Sundar Singh, determinou que se não encontrasse paz, matar-se-ia. Orou desta maneira: “Oh Deus, se há um Deus, revela-Te a mim esta noite”. (Tinha estado num colégio com professoras cristãs). Se não recebesse uma resposta em sete horas poria fim à sua vida nos trilhos do próximo comboio que ia para Lahore.

Nas primeiras horas da manhã, teve um sonho em que Jesus entrava no seu quarto e lhe dizia em indostão: “Estavas orando para conhecer o caminho correto, por que não o aceitas? Eu sou o caminho”.

Correu ao quarto do seu pai e disse-lhe: “Sou cristão. Não posso servir a ninguém mais senão a Jesus. Até o dia em que morra, a minha vida é Sua”.

Nunca soube de alguém que invocasse o nome do Senhor com toda a sinceridade de coração e que não fosse ouvido. Certamente, existem aqueles que oram ao Senhor quando estão em apuros, que prometem viver para Ele se Ele os libertar e O esquecem uma vez que a pressão desaparece. Mas Deus conhece os seus corações; sabe que foram somente astutos oportunistas e que jamais fizeram um genuíno compromisso de coração com Ele.

Persiste o facto de que Deus responde sempre de alguma maneira àquele que O busca desesperadamente. Em países onde a Bíblia não está disponível facilmente, Ele pode usar sonhos. Noutro lugar onde a Sagrada Escritura está acessível Ele pode fazê-lo mediante uma porção das Escrituras, através do testemunho pessoal, servindo-se de literatura cristã ou com a ajuda da coincidência milagrosa das circunstâncias. Deste modo, num sentido muito real, é verdade que “aquele que procura a Deus já o encontrou”. Isto é certo!



Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: