… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

3 de agosto


“Aos Pés Do Mestre”
(At the Master’s feet),
Compilado por Audie G. Lewis
das obras 
de
C. H. Spurgeon

3 de agosto CONFIANTE ATÉ NA MORTE

“Eu já estou sendo oferecido por aspersão de sacrifício, e o tempo da minha partida está próximo. Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé. Desde agora, a coroa da justiça me está guardada.” (2Tm 4:6-8, ARC, Pt)

Com quanta confiança Paulo contempla a perspectiva da morte! Não se atemoriza ante ela. Com a calma e a serenidade que outorgam, não só a resignação e a submissão, mas a segurança e o valor, mostra-se gozoso e feliz e inclusive encantado com a esperança de que o seu corpo mortal se desintegre e seja revestido com o novo corpo que Deus tem preparado para os Seus santos. Aquele que pode falar da sepultura e do que vem depois com tão sábia antecipação, fé e fervoroso desejo como o fez Paulo, é digno de inveja. Os príncipes bem podem entregar as suas coroas ante tão certeira e segura esperança de imortalidade. Se são capazes de dizer com ele: “Mas temos confiança, e desejamos, antes, deixar este corpo, para habitar com o Senhor” (2Co 5:8, ARC, Pt) bem poderiam trocar a sua honraria terrestre por tal recompensa.

Deste lado do Céu, o que pode ser mais celestial do que prepararmo-nos bem para passar o rio da morte? Por outro lado, que estado mental tão temível e espantoso o das pessoas que, com nada ante elas que não seja a morte, não têm esperança e não encontram saída, a mortalha é o seu último vestido, a sepultura e o cemitério o seu destino! Sem a esperança de voltar a levantar-se num futuro melhor, sem a perspectiva de ver Deus cara a cara com gozo, com razão qualquer referência à morte desgosta estes homens.

Através da Bíblia num ano: Jb 21-24



Tradução de Carlos António da Rocha

*** 

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizado exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: