… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

11 de setembro


C. H. Spurgeon
Livro de Cheques do Banco da Fé
11 de setembro
“Bom é para o homem suportar o jugo na sua mocidade.” (Lm 3:27, ARC, Pt)

Esta afirmação é tão boa como uma promessa. Tem sido bom, é bom e será bom para mim levar o jugo.

No princípio da vida tive de sentir o peso da convicção, e esse peso tem sido, desde então, uma carga que enriquece a alma. Amaria eu tanto o Evangelho se não tivesse aprendido, por profunda experiência, a necessidade da salvação, mediante a graça? «Jabés foi mais ilustre do que seus irmãos: e sua mãe chamou o seu nome Jabés, dizendo: Porquanto com dores o dei à luz»e aqueles que sofrem muito, ao nascer para Deus, fazem-se crentes fortes na graça soberana.

O jugo da censura é aborrecido, mas prepara o homem para a honra. O que não tiver sofrido o castigo do desprezo não está ainda apto para ser chefe. O elogio embriaga se não for precedido pela injúria. Os homens que se elevam à eminência, sem esforço, caem geralmente na desonra.

O jugo da aflição, do desapontamento, e do trabalho excessivo de modo nenhum se deve buscar; porém, quando o SENHOR no-los impõe, na nossa mocidade, frequentemente desenvolve um carácter que glorifica a Deus e abençoa a Igreja.

Vem, minh’alma, submete o teu pescoço; toma a tua cruz. Esta foi-te útil quando eras jovem; ela não te causará dano, agora. Por amor de Jesus, carrega-a ao ombro, alegremente.



Tradução de Carlos António da Rocha

*** 

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: