… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

terça-feira, 27 de setembro de 2016

27 de setembro

Oswald Chambers 
My Utmost for His Highest
27 de setembro   O “VAI” DA RENÚNCIA
“… Lhe disse um: Senhor, seguir-te-ei para onde quer que fores.” (Lc 9:57, ARC, Pt)

A atitude do nosso Senhor para com este homem foi de uma desaprovação áspera “porque ele bem sabia o que havia no homem” (Jo 2:25, ARC, Pt). Nós teríamos dito: “Eu não posso imaginar por que é que Ele perdeu a oportunidade de ganhar esse homem! Imagina-O a ser tão frio com ele e a mandá-lo embora tão desanimado!” Nunca peças desculpa pelo teu Senhor. As palavras do Senhor ferem e ofendem até que não haja mais nada para ser magoado ou ofendido. Jesus Cristo não tinha nenhuma brandura por qualquer coisa que, finalmente, arruinaria uma pessoa no seu serviço para Deus. As respostas do nosso Senhor não se basearam em algum capricho ou pensamento impulsivo, mas no conhecimento do “que havia no homem.” Se o Espírito de Deus traz à tua mente a palavra do Senhor que te fere, tu podes ter certeza de que existe qualquer coisa em ti que Ele quer ferir de morte.

Lucas 9:58. Estas palavras destroem o argumento de servir a Jesus Cristo porque é uma coisa agradável de fazer. E o rigor da rejeição que Ele exige de mim não permite que nada permaneça na minha vida, a não ser o meu Senhor, eu mesmo e um sentimento de esperança desesperada. Ele diz que eu tenho de deixar que toda a gente vá e venha, e que eu devo ser guiado exclusivamente pelo meu relacionamento com Ele. E Ele diz: “... o Filho do homem não tem onde reclinar a cabeça.”

Lucas 9:59. Este homem não queria desapontar Jesus, nem queria mostrar uma falta de respeito por seu pai. Pomos o nosso sentido de lealdade para com nossos parentes à frente da nossa fidelidade a Jesus Cristo, forçando-O a tomar último lugar. Quando te surgir algum conflito de lealdade, obedece sempre a Jesus Cristo, custe o que custar.

Lucas 9:61. A pessoa que diz: “Senhor, eu te seguirei, mas…”, é a pessoa que está extremamente pronta para ir, mas nunca vai. Este homem tinha reservas a respeito de ir. A chamada exigente de Jesus não dá lugar para despedidas; as despedidas, como muitas vezes costumamos fazê-las, são pagãs, e não cristãs, porque elas afastam-nos da chamada. Logo que a chamada de Deus te chegue, começa a avançar e nunca parares.


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: