… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

terça-feira, 27 de setembro de 2016

27 de setembro


C. H. Spurgeon
Leituras Matutinas
27 de setembro
“Bem-aventurado tu, ó Israel! Quem é como tu? Um povo salvo pelo SENHOR.” (Dt 33:29, ARC, Pt)

Aquele que afirma que o cristianismo faz os homens miseráveis, demonstra que o desconhece inteiramente. É, na verdade, estranho que nos faça miseráveis, se considerarmos a alta posição à qual nos eleva! Ele faz-nos filhos de Deus. Tu crês que Deus há-de dar aos Seus inimigos toda a Sua felicidade, e reservará para a Sua própria família toda a dor? Terão os inimigos alegria e gozo e os nascidos em Sua casa herdarão aflição e desdita? O pecador que não conhece Cristo ter-se-á por rico e feliz, e nós iremos lamentando-nos como se fôssemos miseráveis mendigos? Não! Nós regozijar-nos-emos no Senhor sempre, e nos glorificaremos na nossa herança, porque nós “não recebemos o espírito de escravidão, para outra vez estarmos em temor, mas recebemos o Espírito de adopção de filhos, pelo qual clamamos: Aba, Pai.” A vara da disciplina tem de estar sobre nós em certa medida, pois ela traz-nos doces frutos de justiça. De modo que, com a ajuda do divino Consolador, nós, “o povo salvo pelo Senhor”, regozijar-nos-emos no Deus da nossa Salvação. Nós havemo-nos desposado com Cristo. Permitirá o nosso sublime Noivo que a Sua esposa se consuma numa dor constante? Os nossos corações estão unidos a Ele; nós somos Seus membros, e ainda que por um tempo soframos, como uma vez sofreu a nossa Cabeça, contudo, até agora somos abençoados nEle com todas as bênçãos espirituais. Temos os penhores da nossa herança nos consolos do Espírito, que não são poucos nem insignificantes. Herdeiros do gozo eterno, nós temos o antegosto da nossa porção. Há brilhos dessa luz de gozo que nos anunciam o amanhecer do nosso eterno dia. As nossas riquezas estão além do mar; a nossa cidade de sólidos fundamentos está da outra margem do rio, o brilho de glória do espírito do universo alegra os nossos corações e impele-nos para diante. Verdadeiramente Tu nos disseste: “Bem-aventurado tu, ó Israel! Quem é como tu? Um povo salvo pelo SENHOR.”


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: