… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

segunda-feira, 10 de outubro de 2016

10 de outubro

C. H. Spurgeon
Leituras Matutinas
10 de outubro
“Irrepreensíveis, com alegria, perante a Sua glória.” (Jd 1:24, ARC, Pt)

MEDITA nesta admirável palavra: irrepreensíveis. Nós estamos agora muito longe de sê-lo; mas, como o nosso Senhor não carece de perfeição na Sua obra de amor, algum dia alcançá-lo-emos. O Salvador, que guardará o Seu povo até ao fim, “para a apresentar a Si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível.” Todas as pedras preciosas da coroa do Salvador são de primeira água e sem qualquer defeito. Todas as damas de honor que acompanham a esposa do Cordeiro são virgens castas, sem mancha nem defeito. Mas, como Jesus nos fará irrepreensíveis? Lavar-nos-á dos nossos pecados no Seu próprio sangue até que sejamos tão brancos e tão formosos como o mais puro anjo de Deus; e seremos vestidos com a Sua justiça, aquela justiça que faz com que o santo seja positivamente irrepreensível; sim, seja perfeito na presença de Deus. Seremos irrepreensíveis e sem reprovação até aos Seus olhos. A Sua lei não só não nos acusará, mas também será magnificada em nós. Além disso, a obra do Espírito Santo em nós será completa. Ele far-nos-á tão perfeitamente santos, que desaparecerá de nós a tendência a pecar. O juízo, a memória, a vontade: cada uma das faculdades e cada um dos sentimentos serão manumitidos da escravidão do mal. Seremos santos como Deus é santo, e estaremos na Sua presença para sempre. Os santos não se encontrarão no Céu fora de ambiente; a sua beleza será tão sublime como a beleza do lugar que para eles lhes há preparado. Oh, qual será o êxtase daquela hora quando as portas eternas se levantem, e nós, aptos já para a herança, habitaremos com os santos na luz! O pecado tirado, Satanás fechado, a tentação eliminada e nós “irrepreensíveis” diante de Deus: isto, na realidade, será o Céu! Estejamos alegres agora, enquanto ensaiamos o canto de eterno louvor, que logo ressoará em pleno coro. Estejamos alegres agora, enquanto ensaiamos o canto de louvor eterno, que logo ressoará entoado pelo coro completo da hoste dos lavados pelo sangue de Jesus; vamos tomar como nosso modelo as exultações de David diante da Arca como prelúdio para os nossos êxtases diante do Trono.

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: