… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

segunda-feira, 10 de outubro de 2016

10 de outubro


Oswald Chambers 
My Utmost for His Highest
10 de outubro COMO SABEREI?

“Respondendo Jesus, disse: Graças te dou, ó Pai … que ocultaste estas coisas aos sábios e entendidos, e as revelaste aos pequeninos.” (Mt 11:25, ARC, Pt)

Nós não crescemos numa relação espiritual passo a passo— ou temos uma relação ou não temos. Deus não nos continua a purificar cada vez mais do pecado— “Mas, se andarmos na luz,” somos purificados “de todo pecado” (1Jo 1:7, ARC, Pt)). É uma questão de obediência, e logo que obedecemos, a relação é perfeita instantaneamente. Mas, se rejeitarmos obedecer, ainda que seja por um segundo, imediatamente as trevas e a morte estão operando.

Todas as verdades reveladas de Deus permanecem seladas até que elas se abrem para nós por meio da obediência. Nunca as poderás descobrir por meio da filosofia ou da meditação. Mas, logo que tu obedeces, um clarão de luz aparece imediatamente. Deixa que a verdade de Deus penetre pouco a pouco em ti, deixando-te tu mesmo absorver por ela, não te preocupando com ela. A única maneira como podemos chegar a conhecer a verdade de Deus é parar de tentar descobri-la e nascer de novo. Se obedeceres a Deus na primeira coisa que Ele te mostra, então Ele revela-te instantaneamente a verdade seguinte. Poderias ler volumes sobre a obra do Espírito Santo, quando cinco minutos de obediência total e firme tornariam tudo tão claro como a luz do sol. Não digas: “Suponho que entenderei essas coisas algum dia!” Podes entendê-las agora. E não é o estudo que te traz a compreensão, mas obediência. Até o menor gesto de obediência abre o céu, e as verdades mais profundas de Deus tornam-se imediatamente tuas. No entanto, Deus nunca te revelará mais verdades a respeito dEle, até que tu tenhas obedecido às que já conheces. Acautela-te para não te tornares um dos “sábios e entendidos.” “ Se alguém quiser fazer a vontade dEle, … conhecerá …” (Jo 7:17, ARC, Pt).

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: