… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quarta-feira, 12 de outubro de 2016

12 de outubro

C. H. Spurgeon
Leituras Vespertinas
12 de outubro
“Aquele Consolador, o Espírito Santo.” (Jo 14:26, ARC, Pt)

ESTA ERA é especialmente a dispensação do Espírito Santo, na qual Jesus nos anima não com a Sua presença física, como Ele depois fará, porém través da morada e constante permanência no nosso íntimo do Espírito Santo, o qual é, em todos os tempos, o Consolador da Igreja. É Seu ofício consolar os corações do povo de Deus. Ele convence do pecado; Ele ilumina e instrui. Contudo, a Sua obra principal consiste em, constantemente, tornar felizes os corações dos regenerados, confirmar os fracos, e levantar todos aqueles que estão humilhados. Ele faz isto revelando-lhes Jesus. O Espírito consola, mas Cristo é a consolação. Se assim nos é permitido usar a ilustração, o Espírito é o Médico, mas Jesus é o medicamento. O Espírito Santo cura a ferida, mas fá-lo aplicando o santo unguento do nome e da graça de Cristo. Não toma das Suas próprias coisas, mas das coisas de Cristo. Assim, se damos ao Espírito Santo o nome grego de Paracleto, como o fazemos às vezes, então o nosso o coração dá ao nosso bendito Senhor Jesus o título de Paraclesis. Se Um é o Consolador, o Outro é o Consolo. Assim, com tão rica provisão para suas necessidades, por que deveria o Cristão estar triste e desanimado? O Espírito Santo está graciosamente comprometido em ser o teu Consolador: porque imaginas, Oh crente fraco e tremente, que o Espírito Santo não responderá à confiança que nEle depositaste? Podes tu supor que Ele tenha tomado a Seu cargo aquilo que Ele não pode ou Ele não quer cumprir? Se a Sua obra peculiar é fortalecer-te e confortar-te, supões tu que Ele Se esqueceu do Seu serviço ou que Ele irá falhar na amorosa tarefa que ele realiza para teu bem? Não, nunca penses tanto mal do terno e bendito Espírito, cujo nome é “o Consolador.” Ele deleita-Se em dar o óleo de alegria para o que chora, e o traje de louvor para o espírito abatido. Confia tu nEle e Ele, com toda a certeza, consolar-te-á até que a casa do pranto se feche para sempre e que a festa de núpcias comece.

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: