… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

domingo, 16 de outubro de 2016

16 de outubro


C. H. Spurgeon
Leituras Matutinas
16 de outubro
“Disse-lhes Jesus: Vinde, comei.” (Jo 21:12, ARC, Pt)

NESTAS palavras o crente está convidado a ter uma santa intimidade com Jesus. “Vinde, comei”, implica a mesma mesa e o mesmo alimento; sim, e algumas vezes significa sentar-se a Seu lado e apoiar a nossa cabeça no peito do Salvador. Significa, também, sermos levados à “casa do banquete”, onde ondula a bandeira do amor que redime. “Vinde, comei” dá-nos uma visão da união com Jesus, pois a única comida que podemos comer, quando comemos com Jesus, é Ele mesmo. Ó que união esta! Que nos alimentemos assim de Jesus constitui, para a razão, um mistério impenetrável. “Quem come a Minha carne e bebe o Meu sangue permanece em Mim e eu nEle.” É, também, um convite para gozarmos da comunhão com os santos. Os Cristãos podem diferir em múltiplas opiniões sobre muitos assuntos, mas todos têm o mesmo apetite espiritual. E se todos nós não podemos sentir do mesmo modo, podemos, sem embargo, alimentar-nos do mesmo modo do pão da vida que desceu do céu. Na mesa da comunhão com Jesus, somos um pão e um cálice. Enquanto o amado cálice passa de mão em mão brindamo-nos cordialmente uns aos outros. Acerca-te mais de Jesus, e achar-te-ás mais e mais ligado a todos os que, como tu, se sustentam com o mesmo maná celestial. Se estivéssemos mais perto de Jesus, estaríamos mais perto uns dos outros. Nestas palavras vemos, além disso, a fonte da fortaleza para todos os Cristãos. Olhar para Cristo é viver, mas para termos forças com que O servir, temos de “vir e comer”. É por olvidar este preceito que gememos sob uma debilidade desnecessária. Nenhum de nós precisa de pôr-se a dieta; pelo contrário, temos de nutrir-nos da medula e da gordura do Evangelho, com o fim de acumularmos forças para as pormos totalmente ao serviço do Mestre. Se quiseres, pois, ter intimidade e união com Jesus e amor pelo Seu povo, e se queres obter forças de Jesus, “vem e come” com Ele pela fé.

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: