… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

domingo, 2 de outubro de 2016

2 de outubro


C. H. Spurgeon
Livro de Cheques do Banco da Fé
2 de outubro
“E disse José a seus irmãos: Eu morro; mas Deus certamente vos visitará, e vos fará subir desta terra à terra que jurou a Abraão, a Isaac e a Jacob.” (Gn 50:24, ARC, Pt)

José tinha sido para os seus irmãos a providência encarnada. Todos os nossos Josés morrem, e milhares de confortos morrem com eles. O Egipto jamais foi o mesmo para Israel depois que José morreu, nem tão-pouco o mundo pode ser, para algum de nós, o que foi quando viviam os nossos entes queridos.

Mas vede como foi aliviado a dor da sua triste morte! Eles tinham uma promessa de que o Deus Vivo os visitaria. Uma visita do SENHOR Deus! Que grande favor! Que grande consolação! Que Céu na Terra! Oh, SENHOR, visita-nos neste dia; ainda que, na verdade, nós não somos dignos de que Tu entres debaixo do nosso telhado.

Mas, foi prometido mais: o SENHOR fá-los-ia subir. Eles encontrariam no Egipto uma hospitalidade fria depois de José ter morrido; mais ainda, o Egipto viria a ser para eles uma casa de servidão. Isso, porém, não seria assim para sempre; eles sairiam dali mediante um salvamento divino e marchariam para a Terra da Promessa. Nós não choraremos aqui, para sempre. Seremos chamados para Casa, à Terra da Glória, a fim de nos juntarmos aos nossos seres queridos. Portanto, “consolai-vos uns aos outros com estas palavras.”

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: