… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

21 de outubro


C. H. Spurgeon
Leituras Matutinas
21 de outubro
“O amor de Cristo nos constrange.” (2Co 5:14, ARC, Pt)

QUANTO deves ao meu Senhor? Alguma vez fez Ele alguma coisa por ti? Perdoou-te os pecados? Cobriu-te com o manto de justiça? Pôs os teus pés sobre uma rocha? Endireitou os teus passos? Preparou o Céu para ti? Escreveu o teu nome no livro da vida? Tem-te dado inúmeras bênçãos? Tem acumulado para ti um depósito de misericórdias, que o olho não viu, e o ouvido não ouviu? Então, faz alguma coisa em prol de Jesus que seja digno do Seu amor. Não dês ao agonizante Redentor uma mera oferenda de palavras. Como te sentirás quando o teu Mestre vier, se tens para confessar que nada tens feito em prol dEle, mas que guardaste encerrado o teu amor, igual a um poço estagnado, que não flui nem para bem dos necessitados nem para bem da obra de Deus? Fora com um amor como esse! O que pensam os homens de um amor que não se manifesta em obras? Pensam isto: “Melhor é a repreensão franca do que o amor encoberto.” Quem aceitará um amor tão fraco que nem sequer te move a realizar uma simples obra de generosidade, de heroísmo ou de zelo? Pensa em como Ele te amou e Se entregou a Si mesmo por ti! Conheces o poder daquele amor? Então, permite que ele como um poderoso vento retire da tua alma as nuvens da mundanidade e dissipe as névoas do pecado. “Por amor a Cristo” seja esta a língua de fogo que se assente sobre ti. “Por amor a Cristo”: seja este o divino êxtase e a celestial inspiração que te elevem de sobre a Terra, e seja este, além disso, o divino espírito que te faça valente como o leão e veloz como a águia na obra do teu Senhor. O amor deveria dar asas aos teus pés e forças aos teus braços para trabalhar. Firmes em Deus com uma perseverança que não há-de titubear, resolvidos a honrá-Lo com uma determinação que não vacilará, e compelidos com um ardor que não há-de diminuir, manifestemos ao mundo que o amor de Cristo nos constrange. Que o divino ímã nos atraia para o Céu para junto dEle.


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.



Tenho deixado os meus leitores desfrutarem das publicações inéditas que vou apensando diariamente no meu blogue. Casualmente verifiquei que as Meditações Matutinas e Vespertinas de C. H. Spurgeon que eu traduzi estão publicadas ipsis verbis no Brasil, sem indicação do autor, ao preço de R$45,00 e em Portugal a €19.99 EUR!!!
Que roubalheira!!!
Isto dói e não é sério nem cristão.
Carlos

Sem comentários: