… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sábado, 22 de outubro de 2016

22 de outubro


C. H. Spurgeon
Livro de Cheques do Banco da Fé
22 de outubro
“Pois Tu, ó SENHOR DEUS, o disseste; e com a Tua bênção será para sempre bendita a casa de Teu servo.” (2Sm 7:29, ARC, Pt)

David apoia-se nesta promessa e dá-nos uma lição dupla. Tudo quanto Deus há dito é verdadeiro e podemos servir-nos das Suas declarações para as apresentar diante do Seu trono.

Que bom é citar a Deus as Suas próprias palavras! Quão precioso é usar esta razão: “Pois Tu”, como David o faz neste versículo!

Oramos, não porque duvidamos, mas porque cremos. Orar com incredulidade é indigno dos filhos de Deus. SENHOR, não podemos duvidar de Ti: estamos persuadidos de que toda a Tua palavra é um fundamento firme para a esperança mais ousada. A Ti recorremos dizendo: “Faz conforme tens dito.” Abençoa a casa dos Teus servos; cura os nossos enfermos, salva aos indecisos entre os nossos; restaura aos desencaminhados; confirma aos que vivem no Teu temor. SENHOR, dá-nos alimento e vestido, segundo a Tua Palavra. Prospera os nossos empreendimentos; sobretudo ajuda os nossos esforços, para que o Evangelho seja conhecido na nossa vizinhança. Faz com que os nossos empregados sejam Teus filhos, e os nossos filhos Teus filhos. Que a Tua bênção passe às gerações futuras, e que, enquanto algum dos nossos descendentes viva na Terra, que permaneça fiel a Ti. Oh, SENHOR Deus, “com a Tua bênção será para sempre bendita a casa de Teu servo.”




Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: