… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

domingo, 23 de outubro de 2016

23 de outubro


William MacDonald
Um dia de cada vez
23 de outubro
“Porque não falará de Si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará o que há de vir. Ele Me glorificará, porque há de receber do que é Meu, e vo-lo há de anunciar.” (Jo 16:13-14, ARC, Pt)

Quando o SENHOR Jesus disse que o Espírito Santo não falaria por Sua própria conta, não deu a entender que o Espírito jamais faria qualquer referência a Si mesmo. Pelo contrário, a ideia é que o Espírito não falaria pela Sua própria autoridade ou independentemente de Deus, o Pai. Isto confirma-se com as palavras que seguem: “... mas dirá tudo o que tiver ouvido.”

Mas, havendo dito isto, devemos acrescentar que normalmente o Espírito Santo não fala a respeito de Si mesmo. Um dos Seus ministérios característicos é glorificar a Cristo. O Senhor disse: “Ele Me glorificará, porque há de receber do que é Meu, e vo-lo há de anunciar.”

Isto significa que quando ouvimos algum ministério que exalta ao SENHOR Jesus Cristo, podemos estar seguros de que é inspirado pelo Espírito. Por outro lado, quando escutamos mensagens que glorificam o orador em vez do SENHOR, podemos ter a certeza absoluta de que o Espírito está entristecido. O Espírito não pode ao mesmo tempo atestar da grandeza do SENHOR Jesus e da grandeza do pregador.

“O ensino mais espiritual estará sempre caracterizado por uma plena e constante apresentação de Cristo como o tema principal de tal ensino. O Espírito ocupa-Se com o glorioso tema de Jesus. Deleita-Se falando dEle. Sente prazer expondo os Seus atractivos e as Suas excelências. Por isso, quando um homem esteja ministrando pelo poder do Espírito de Deus, encontraremos sempre que no seu ministério há mais de Cristo que de qualquer outra coisa. Haverá pouco espaço em tal ministério para a lógica humana e o raciocínio... O único objectivo do Espírito... é sempre mostrar a Cristo” (C. H. Mackintosh).

A este respeito, o mundo evangélico deve reconsiderar a sua prática de apresentar os conferencistas e os pregadores mediante extravagantes listas dos seus graus académicos e honras dos seus estudos teológicos. É irreal louvar um homem até os Céus, e em seguida esperar que ele pregue no poder do Espírito Santo.

Uma grande prova do ministério escrito é se ele realmente glorifica ao SENHOR Jesus. Recordo-me de ter lido um livro sobre a Pessoa e obra do Espírito Santo. Primeiro, pareceu-me estranho que o autor empregasse mais tempo falando das excelências morais de Cristo do que do Espírito Santo. Em seguida, observei que este apresentava uma verdadeira descrição da Pessoa e da obra do Espírito.

Jim Elliot escreveu no seu diário: “Se os homens fossem cheios com o Espírito, não escreveriam livros sobre esse tema, mas sobre a Pessoa a quem o Espírito veio revelar. Ocupar-se de Cristo é o objeto de Deus, não da plenitude do Espírito.”



Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: