… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sábado, 29 de outubro de 2016

29 de outubro

Oswald Chambers 
My Utmost for His Highest
29 de outubro A SUBSTITUIÇÃO

“Àquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós, para que nele fôssemos feitos justiça de Deus.” (2Co 5:21, ARC, Pt)

A visão moderna da morte de Jesus é que Ele morreu pelos nossos pecados por nossa compaixão. Contudo, o ponto de vista do Novo Testamento é que Ele tomou sobre Si os nossos pecados não por comiseração, mas por causa da Sua identificação connosco. Ele “O fez pecado...” Os nossos pecados são removidos por causa da morte de Jesus, e a única explicação para a Sua morte é Sua obediência ao Pai, não a Sua compaixão por nós. Tornamo-nos aceitáveis a Deus não porque tenhamos obedecido, nem porque tenhamos prometido renunciar a certas coisas, mas por causa da morte de Cristo, e não por nenhum outro motivo. Dizemos que Jesus Cristo veio para revelar a paternidade e a misericórdia de Deus, mas o Novo Testamento diz que Ele veio para tirar “o pecado do mundo!” (João 1:29). E a revelação da paternidade de Deus é somente para aqueles a quem Jesus foi apresentado como Salvador. Ao falar para o mundo, Jesus Cristo nunca Se referiu a Si mesmo como Aquele que revelava o Pai, mas Ele falou, em vez disso, de ser um tropeço (vê João 15:22-24). Em João 14:9, onde Jesus disse: “Quem Me vê a Mim vê o Pai”, estava falando com os Seus discípulos.

Que Cristo morreu por mim, e por isso estou completamente livre de castigo, nunca é ensinado no Novo Testamento. O que é ensinado no Novo Testamento, é que “Ele morreu por todos” (II Coríntios 5:15)— e não, que “Ele morreu a minha morte” — e que, através da minha identificação com a Sua morte eu posso ser libertado do pecado, e que tenho a Sua própria justiça que me é dada como uma oferta. A substituição que é ensinado no Novo Testamento é dupla— Porque “Àquele que não conheceu pecado, O fez pecado por nós, para que nEe fôssemos feitos justiça de Deus.” O ensino não é Cristo para mim, a não ser que eu esteja determinado a ter Cristo formado em mim (vê Gálatas 4:19).




Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: