… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

segunda-feira, 3 de outubro de 2016

3 de outubro


William MacDonald
Um dia de cada vez
3 de outubro
“E curou muitos que se achavam enfermos de diversas enfermidades, e expulsou muitos demónios.” (Mc 1:34, ARC, Pt)

Alguns Cristãos pensam que a posse demoníaca é um fenómeno que existiu somente quando nosso Senhor estava na Terra, mas que já não está presente, nos nossos dias. Esta é uma ideia errónea que deve corrigir-se. Os periódicos de quase todos os dias contêm relatos de crimes sem causa, que indicam claramente, que foram inspirados pelo demónio. A posse demoníaca apresenta certos sintomas que nos ajudam a identificá-la e a distingui-la das enfermidades mentais.

Em primeiro lugar, um demónio conduz a sua vítima à violência e à destruição. O propósito do demónio é sempre destruir.

Uma pessoa que está possuída pelo demónio manifesta duas ou mais personalidades, a sua própria e a do demónio(s). Pode falar com vozes diferentes e identificar-se com diferentes nomes.

Esta pessoa é capaz de façanhas sobrenaturais de força ou pode possuir poderes de conhecimento sobrenaturais.

Ainda que o possuído possa falar, às vezes, condescendentemente do SENHOR Jesus, a sua conduta normal será blasfemar ou reagir violentamente, ante qualquer menção do Senhor, da oração, do sangue de Cristo ou da Palavra de Deus.

A sua conduta é extremamente estranha, errática e inquieta. Os demais não podem entendê-lo, controlá-lo, nem reabilitá-lo. Pode ter tendências suicidas e viver na escravidão do temor e da superstição.

A posse demoníaca está estreitamente associada frequentemente com o uso de drogas alucinógenas. Estas drogas introduzem a pessoa no reino transcendental e abrem o seu ser à entrada de demónios. A palavra “bruxaria” ou “feitiçaria” traduzida em várias versões da Bíblia, vem do étimo da palavra grega “farmakia” que significa drogas.

A pessoa possuída pelo demónio é sádica e mostra uma crueldade física ou mental excepcional e algumas vezes mutila ou desmembra os corpos das suas vítimas. Outros que são possuídos pelo demónio podem ser morbosos, frequentando cemitérios, coleccionam crânios ou outra classe de ossos, e ainda ser obcecados com a morte e com histórias espantosas. Ao parecer, o Sol e a Lua, especialmente a Lua Nova, exercem uma profunda influência no mundo do demonismo. Possivelmente daqui a promessa tranquilizadora da Palavra aos crentes: “O Sol nem não te fatigará de dia, nem a Lua de noite” (Sl 121:6).

Os demónios podem exorcizar-se por meio da oração e da autoridade do Nome do SENHOR Jesus, mas a libertação permanente para a pessoa encontra-se somente quando esta Nasce de Novo por meio da fé no Salvador.

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: